clique para exibir bio do colunista

Boris Feldman é mineiro, formado em Engenharia e Comunicação. Foi engenheiro da fábrica de peças para motores Metal Leve e editor de diversos cadernos de automóveis. Escreve a coluna sobre o setor automotivo no O POVO e em diversos outros jornais pelo país. Também possui quadro sobre veículos na rádio O POVO/CBN

boris-feldman • Opinião

Histórias mal contadas....

A publicidade mentiu ou só omitiu? Exagerou ou só ultrapassou o limite? Escorregou ou só pisou em falso? Tudo uma questão de perspectiva... Por

Porta-malas - Existe um padrão internacional para se medir o volume do porta-malas, possibilitando que se compare a capacidade (em litros) de vários modelos. Mas tem uma marca (francesa) que levou a sério a medição em "litros" e anuncia a capacidade do porta-malas de seus modelos aferidos com... água. Em geral, o que se carrega numa viagem são malas, sacolas e pacotes. Água, só se for de caminhão-pipa...

Peso - Para não fugir do tema, uma fábrica anunciou que a capacidade de carga de sua picape era de 700 kg. Que é, na verdade, o peso total admissível do veículo. A agência de publicidade se esqueceu da necessidade de pelo menos uma pessoa na cabine, atrás do volante. Ou já vislumbrava o carro autônomo?

Estepe - Chegou quase ao fim o estoque na fábrica de rodas e pneus para a linha de montagem. Para não interromper a produção, a fábrica decide montar os carros sem estepe, e levá-los para o pátio até chegarem mais rodas e pneus. Quando chega o lote seguinte, alguém percebe que os pneus são de outra marca. "Pode montar!", grita o gerente de produção, se lixando para o freguês que, quando precisar do estepe, vai usar marcas e padrões diferentes nos dois lados do eixo...

Asiáticos - Por falar em pneus, algumas fábricas estão usando marcas asiáticas. Por quê não, se oferecem mesma qualidade e custam menos? O problema vem depois, quando o dono do carro precisar repor um deles ou todo o jogo: vai ter dor de cabeça, pois não são encontrados com facilidade no mercado, aliás, as vezes em loja nenhuma, só na concessionária. Que aproveita para enfiar a mão com gosto no bolso da vítima.

Joelho - Fábrica inclui, entre as "vantagens" de seu carro, o 7º air bag, que protege os joelhos do motorista. Deveria ficar quieta, pois ele só é necessário para remendar um projeto mal feito: se a parte frontal do carro foi bem estruturada, não há necessidade de mais esta bolsa inflável.

Airbag
Foto: Divulgação
Airbag

Juro "zero" - Se você acha que Papai Noel, cegonha e almoço grátis existem, então acredita também no financiamento do carro zero sem juros. É evidente que estarão embutidos nas taxas, no desconto que deixou de ser praticado, ou na perda de alguma oferta para quem paga a vista.

Autonomia - No caso do elétrico, ele pode até rodar de fato os 400 km anunciados com uma carga de bateria, mas desde que não se ligue faróis nem ar-condicionado, nem tenha que subir o morro, ou que a precariedade de eletropostos nas estradas não force o motorista a parar para abastecer mantendo carga mínima de 15 ou 20%...

R$ 1,00 por dia - O freguês tem receio de comprar o carro pela (má) fama que conquistou no mercado devido ao elevado custo das revisões obrigatórias. A fábrica, preocupada em perder vendas, anuncia um plano de revisões a preço fixo, especificando o valor de cada uma, de acordo com a quilometragem. O freguês acredita até levar o carro para a revisão, que deveria mesmo custar cerca de R$ 30 por mês. Mas aí vem a conversa para boi dormir do "consultor técnico", que se vale de sofisticada lábia para aplicar a empurroterapia e dobrar ou triplicar o valor. E tome limpeza de bico injetor, do corpo da borboleta, do tanque de combustível, lubrificação da suspensão e das maçanetas...

Potência - Ao lançar a versão esportiva da gama, fábrica alemã queria porque queria anunciar o "mais potente do mercado". E se valeu de um artifício "mercadológico", declarando potência de 193 cv. Apenas 1 cv mais que seu concorrente japonês, que declarava 192 cv. A mágica germânica: seu motor só oferecia todo aquele haras se o carro fosse abastecido com gasolina Podium, encontrada apenas em alguns raros postos BR. Enquanto os cavalos japoneses se contentavam com a mais comum das comuns...

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais