Politica

CPI da Covid cancela depoimento de Queiroga, que deve ser indiciado

| Senado | Ministro falaria na próxima segunda, 18, mas houve temor de momento virar palanque. Comissão finaliza os trabalhos na quarta
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não será mais ouvido pela CPI da Covid (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não será mais ouvido pela CPI da Covid

A CPI da Covid cancelou o depoimento do ministro Marcelo Queiroga (Saúde), que seria ouvido na próxima segunda, 18, antevéspera de encerramento dos trabalhos da comissão no Senado. Em seu lugar, o colegiado deve interrogar o médico Carlos Carvalho, à frente de estudo sobre o chamado "kit Covid", tratamento comprovadamente ineficaz contra a doença que já matou 600 mil pessoas.

À CPI, interessa saber se houve interferência na pauta da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), do Ministério da Saúde, que analisaria o estudo conduzido por Carvalho - a tendência da pesquisa era rejeitar o emprego do kit Covid.

De acordo com senadores da cúpula da comissão, entre eles o presidente Omar Aziz (PSD-AM), o recuo na convocação de Queiroga pretende evitar que, na reta final, os trabalhos da CPI se tornem "palco para bolsonaristas". Nas últimas semanas, Queiroga tem se mostrado mais afinado com a conduta do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), crítico do uso de máscaras e de medidas de proteção sanitária.

O ministro teve convocação aprovada depois de descumprir prazo para que respondesse a perguntas enviadas por escrito pelos senadores, em complemento aos depoimentos que já havia prestado.

Queiroga já depôs à comissão outras duas vezes: em 6/5, um dia depois dos ex-ministros Nelson Teich e Henrique Mandetta, e em 8/6, após depoimento da médica Luana Araújo, demitida sem motivo plausível do Ministério da Saúde, embora tivesse currículo exemplar para desempenhar a função para a qual tinha sido contratada.

Esta seria, portanto, a terceira vez de Queiroga na CPI, condição que o teria colocado como personagem que mais vezes foi ouvido pelos parlamentares. Convocado duas vezes, apenas o também ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello iguala sua marca.

Havendo ou não depoimento na segunda-feira, 18, o relatório da comissão será apresentado na terça-feira (19) pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL) e votado no dia seguinte, quarta (20), pelos 11 membros titulares do colegiado.

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais