Reportagem

Ciro lembra derrota de Haddad

reportagem
Edição Impressa
Tipo Notícia
 

No dia em que o PT lançou Fernando Haddad como candidato, para substituir Lula, Ciro Gomes (PDT) disse que o ex-prefeito de São Paulo foi "uma decepção". Ele lembrou a derrota de Haddad para João Doria (PSDB) em 2016, ainda no primeiro turno e avaliou que o petista já entra em desvantagem na corrida eleitoral. Ciro cumpriu agenda na Grande São Paulo, onde tenta angariar votos de eleitores frustrados com o PT.

 

"Haddad não só perdeu para Doria, que é um farsante. Ele perdeu para os votos brancos e nulos e perdeu praticamente em todas as urnas de São Paulo. Isso não desqualifica o Haddad, uma pessoa por quem tenho estima. Gostaria de tê-lo tido como meu vice se o entendimento lá atrás fosse possível. Mas lançado nessa circunstância, ele sai muito fragilizado", afirmou.

 

Ciro também disse que a esquerda do País já está dividida. "Nós já estamos divididos, porque não aceito a imposição da cúpula do PT. Todas as declarações minhas são de que isso era uma farsa, basicamente uma tentativa de fraude para qual fui convidado. Eu fui convidado para exercer este papelão aí, de ser vice de ataque e amanhã ser escolhido na frustração do povo diante da não candidatura de Lula. Não é assim que se constrói uma liderança para o futuro da nação", afirmou.

 

O pedetista tratou o crescimento nas pesquisas com cautela e tentou se colocar como uma opção mais sólida para enfrentar Jair Bolsonaro. Ele mostrou que, em um segundo turno, teria mais chances de vencer o candidato da extrema direita que Haddad. "É bom que as pessoas se lembrem que há uma ameaça protofascista sobre a sorte da sociedade brasileira e que isso não se vence sem muita coesão". (Isabel Filgueiras)

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais