Alan Neto
clique para exibir bio do colunista

Colunista do O POVO, Alan Neto é o mais polêmico jornalista esportivo do Ceará. É comandante-mor do Trem Bala, na rádio O POVO/CBN e na TV Ceará. Aos domingos, sua coluna traz os bastidores da política e variedades.

esportes
Opinião

Rescaldos de um Brasileirão aos trancos e barrancos

- (1) - DECISÃO deste Brasileirão pandêmico, Flamengo x São Paulo, que deveria ter como palco o Maracanã, cedeu lugar a um insípido Fluminense x Fortaleza, que nada representaram a não ser mero cumprimento de tabela, quer dizer, tanto fazia ter como não.

- (2) - AQUI, Castelão, Ceará x Botafogo, nada vezes nada, pois Fogão de tantas glórias, a exemplo dos três que com ele afundaram (Vasco, Goiás, Coritiba) virou galinha morta. Pra completar, fona da competição o que é ainda mais vergonhoso.

- (3) - DENTRE alguns Brasileirões disputados, este foi o primeiro em que o Ceará manteve um técnico de cabo a rabo, um dos motivos pelos quais o time manteve equilíbrio que deu para os gastos, desembocando na Sul-Americana e primeiro nordestino a carimbar passaporte na Série A.

- (4) - ENQUANTO isso, desequilíbrio do Fortaleza veio por conta da troca de técnicos — três ao todo — especialmente após a saída de Ceni, aí foi de ladeira abaixo com Chamusca e posteriormente Enderson Moreira, pois trocando um pelo outro, qualquer um de volta.

- (5) - INCRÍVEL, mas verdadeiro. Aproveitamento pífio dos dois cearenses, Ceará e Fortaleza, como mandantes, isto é, jogando no Castelão. Dos 49 pontos disputados pelo Ceará, 21 foram obtidos através de 7 vitórias fora de casa. Aqui, tanto um quanto o outro, a bola murchou.

(6) - SE servir de consolo, podem enxugar as lágrimas. Fortaleza não perdeu pra nenhum dos 4 rebaixados, nem aqui, nem fora. É a glória...

(7) - CONTRA 4 adversários, o Ceará obteve quase a metade dos pontos, somando 24, com triunfos duplos sobre Coritiba, Bahia, freguês de caderno, Fortaleza e pasmem, Flamengo dentro do Maracanã com Ceni e tudo.

(8) - PONTO negativo? Sim, como não? Alvinegros e tricolores não venceram dentro de São Paulo enfrentando os 5 clubes paulistas. Perderam muito, empataram pouco, vitória nenhuma. Que vergonha!

(9) - HISTÓRICO do Brasileirão revela verdade impiedosa e cruel. Três campeões brasileiros rebaixados, Vasco, Coritiba, Botafogo. Isto é inédito. Dois cariocas, prova provada de que o futebol do Rio está em baixa, exceção a dupla FlaFlu.

(10) - VINA na seleção do Brasileirão, justo ou não? Bom jogador, sim, mas vem provar, também, que o nível técnico deste ano não foi esses balaios todos, contribuindo para a escolha. Aliás, foi o ano de ouro dele, que jamais imaginou que ao trocar nome próprio (Vinícius) pelo apelido Vina desse certo. Para os supersticiosos, então, prato cheio. No Fortaleza, apenas um destaque, goleiro Felipe Alves, no qual Ceni apostou todas as fichas, a ponto de barrar o intocável Boeck. Os demais, abaixo da média, se diretoria quiser mandar fazer fila e mudar tudo, não só pode, quanto deve.

(11) - NENHUM jogador foi revelado no futebol cearense. Da terra, bem entendido. Poderia ter sido Rick, mas Guto Ferreira nunca foi com sua cara, optando pelo gaúcho Léo Chu, do Grêmio, que ganhou na festa recebendo de volta um prato feito. No Fortaleza, então, nem pensar. Quem ainda pintou, Igor Torres, pouco se firmou.

(12) - DOS males o menor. Futebol nordestino não sofreu baque, embora, em alguns casos comesse o pão que o diabo amassou. Quarteto Ceará, Bahia, Sport e Fortaleza vão permanecer, o que representa 20% do Brasileirão, uma boa fatia. Detalhe: futebol cearense cravou seus dois rivais.

(13) - FELIPE, o pau puro de Maranguape, conseguiu feito inédito. Qual? Desbancou Leandro Carvalho, no tocante a cartões, nada menos do que 12 amarelos. Derley na frente dele é uma carmelita. Com o devido respeito...

(14) - ARBITRAGEM cearense, zero à esquerda. Nenhum árbitro da terra conseguiu ser escalado pra Séria A, por total incapacidade. Faz lembrar com saudades apitos de ouro, tais Leandro Serpa, Dacíldo Mourão, Gilberto Ferreira, Lourálber Moreira, Vila Nova, este apitava conversando com os jogadores e por vezes bronqueava — " Joga bola. Ta embromando, hein!".

(18) - CONQUISTA do Ceará, sob Guto Ferreira, conseguiu maior pontuação do Brasileirão em toda história (52 pontos) além de obter melhor colocação, ficou vendo a Libertadores mais de perto, mas não chegou lá. Prêmio para Guto? Renovação com 50% de aumento. E quanto ganhava? Robinson de Castro não revela nem diante de um pelotão de fuzilamento.

(19) - SÓ tem uma coisa. Se Marinho, do Santos, não for escolhido o craque do Brasileirão, vou deixar de entender de futebol. Aliás, uma curiosidade - ele revelou-se no futebol cearense quando atuou pelo Ceará anos atrás. Já era bom de bola, fazia gol de todo jeito. No Santos, virou todo do time e da bola.

(20) - CEARÁ detonou dois tabus. Venceu Vasco e Coritiba, o que antes jamais ocorrera nos confrontos entre eles. Aliás, duas ruindades.

(21) - BRASILEIRÃO que se encerrou ontem à noite, porém do ano anterior, foi o mais excêntrico de todos até aqui. Aconteceu de tudo que se possa imaginar, ou ninguém imaginou. Querem ver? Demorou 7 meses, o de maior extensão. No somatório foram 195 dias. Invadiu sem pedir licença Carnaval, Natal, Ano Novo. Por cima de pau e pedra, finalmente acabou. Mas, aqui pra nós — que graça teve?

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais