Alan Neto
clique para exibir bio do colunista

Colunista do O POVO, Alan Neto é o mais polêmico jornalista esportivo do Ceará. É comandante-mor do Trem Bala, na rádio O POVO/CBN e na TV Ceará. Aos domingos, sua coluna traz os bastidores da política e variedades.

Alan Neto
esportes
Opinião

Ceará precisa de mais alternativas táticas

Alguém que tenha acesso e liberdade ao treinador Guto Ferreira precisa sugerir, se for o caso, que ele consiga aprender outro modelo tático
O argentino Arsenal Nicolas Castro (L) e o brasileiro Ceará Fernando Sobral disputam a bola durante a partida da fase de grupos do torneio de futebol da Copa Sul-Americana no Castelao Arena em Fortaleza, Brasil, em 12 de maio de 2021. (Foto de AFP)
O argentino Arsenal Nicolas Castro (L) e o brasileiro Ceará Fernando Sobral disputam a bola durante a partida da fase de grupos do torneio de futebol da Copa Sul-Americana no Castelao Arena em Fortaleza, Brasil, em 12 de maio de 2021. (Foto de AFP)

- QUEM reparou levante o braço. Técnico Guto Ferreira repetiu contra o Arsenal, da Argentina, o mesmíssimo time que o enfrentou na primeira volta do grupo, lá em Sarandi. Sem tirar nem por. Numa dessas coincidências incríveis do futebol o resultado acabou sendo o mesmo 0 a 0 de lá. Aliás, por pouco o Ceará não se safou de uma zebra sem tamanho, não fora Richard com aquela defesa monumental já nos acréscimos.

ZERO POR MEIA DÚZIA

- OUTRA mania do técnico alvinegro, ou pirraça mesmo, nas substituições que promove na equipe, troca sempre um jogador da posição por outro que joga no mesmo lugar. Por exemplo: trocou Mendoza pelo conterrâneo Gonzalez; Vizeu por Cléber; Vina, que não jogou nada, por Marlon e aí ninguém entendeu mais nada. Nenhuma delas fez efeito. Ao contrário - piorou a equipe.

OUTRA CARTILHA

- URGENTEMENTE, alguém que tenha acesso e liberdade ao treinador do Ceará, para sugerir se for o caso que ele consiga aprender outro modelo tático, diferente do que usa desde quando chegou ao Alvinegro. Não é possível que não saiba como funciona um 4-3-3, o melhor de todos os esquemas ou se quiser ser mais ousado, o 4-2-4. Mas aí também é querer demais. Resultado - ele insiste e persiste em atuar dentro do seu manjadinho, também conhecido como samba-de-uma-nota-só.

QUATRO PEDRAS

- REPÓRTER mais afoito, conseguiu aproximar-se de Vina, perguntando-lhe o que estava havendo com a sua bola do ano passado. Pra quê??? Vina saiu com quatro pedras na mão. Se repetisse a metade do que falou, papai do céu briga...

SERÁ UM SÓSIA?

- PODE ser coincidência, assim como pode não ser. É a terceira vez que Jael, se contunde quando mais o time dele precisa. Para enfrentar o Arsenal era ele o titular da camisa 9. No dia do jogo acusou um desconforto muscular. Como toda dor é subjetiva, acreditaram na sua palavra. Não tinha como ser o contrário. Não é possível que o Ceará esteja diante um novo Rodrigão. Aí será azar pra mil anos.

RANZINZAGEM

- NAS camisas do Arsenal, lá no local principal, também conhecido por master, estava uma publicidade de conhecida marca de automóvel. Na parte master do Ceará, limpinha. Volto a dizer o que já repeti mil vezes - o empresário cearense ou não gosta de futebol ou é ranzinza por natureza. Deve achar que publicidade em camisa de futebol não dá retorno. Detalhe: conheço pelo menos uns seis que não abrem a mão nem pra dar adeus...

PAR OU ÍMPAR?

- VAMOS combinar assim. Com Vizeu, o Ceará será sempre menos um. Quando entra o Cléber é como se o time só jogasse com dez. Antes que esqueça - o que foram fazer, mesmo, em campo, o Marlon e o Jorginho? Trocando um pelo outro, devolvidos no ato.

ÍNDICE

- CEARÁ está há três jogos sem vencer. Bom ou mau prenúncio de ventos uivantes pela frente? Ok, ok, e eu com isso?

INTERROGAÇÃO

- PERGUNTAR não ofende, nem tira pedaço. Se é assim lá: qual é mesmo a posição do Lima dentro de campo? Zanzando de um lado para o outro, por vezes, até parece uma barata tonta. Com ele ou sem ele, o Ceará seria o mesmo, dentro da cartilha do Guto.

NOVO ESTILO

- SE a primeira impressão é a que fica, o argentino Vodjova, começou a implantar seu estilo de ser, dentro do Fortaleza.

- PEQUENOS exemplos - vencer o time do Crato, nenhuma novidade, qualquer um venceria, mas no dia de ontem acordou os jogadores cedo da manhã, 9 horas da manhã, todos estavam em campo para um treino rápido. Alegou o argentino - como a partida só seria quase às 22 horas -que tinha tempo de sobra.

- OUTRO exemplo. Lançou a equipe num sistema 4-1-4-1, com Wellington Paulista isolado na frente, mas recebendo o apoio maciço nos quatro que vêm de trás.

- ESCALOU Osvaldo na ponta-direta. Nenhuma novidade. Osvaldo começou jogando ali nas escolinhas tricolores. Como é destro, sem problema. Sentiu-se até mais a vontade.

- TÉCNICA argentino não tem essa de não dar entrevista. Fica aberto as perguntas, embora controladas pra evitar dissabores. A quem? Ao técnico? Vodjova não está nem aí. Responde em espanhol e o tradutor que se vire pra traduzir.

- O QUE ficou absolutamente claro. O novo técnico quer um time aguerrido nas quatros linhas. Ai de quem embromar - substitui no ato.

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais