Foto de Alan Neto
clique para exibir bio do colunista

Colunista do O POVO, Alan Neto é o mais polêmico jornalista esportivo do Ceará. É comandante-mor do Trem Bala, na rádio O POVO/CBN e na TV Ceará. Aos domingos, sua coluna traz os bastidores da política e variedades.

Alan Neto esportes

O que não foi dito da final Fortaleza x Ceará

Este foi o nono clássico-rei sem a presença de torcedores
Tipo Notícia
FORTALEZA, CE, BRASIL, 23.05.2021: Fortaleza Campeão Cearense e levanta a taça. Fortaleza x Ceara, pela Final do Campeonato cearense, na Arena Castelao. em epoca de COVID-19. (Foto: Aurelio Alves/ Jornal O POVO) (Foto: Aurelio Alves)
Foto: Aurelio Alves FORTALEZA, CE, BRASIL, 23.05.2021: Fortaleza Campeão Cearense e levanta a taça. Fortaleza x Ceara, pela Final do Campeonato cearense, na Arena Castelao. em epoca de COVID-19. (Foto: Aurelio Alves/ Jornal O POVO)

.FOI o maior recorde de medalhas distribuídas numa decisão de títulos. Algo em torno de 50 e olhem lá. Até os árbitros que atuaram na partida foram aquinhoados. Onde já se viu isso? O presidente Mauro Carmélio, que adora distribuir medalhas, estava ululante. Não só pela fartura quanto pelo título do Fortaleza, seu time do coração, cuja taça ajudou a erguer com alguns jogadores. As fotos do jornal não mentem jamais.

A DESCULPA ESFARRAPADA

.ATÉ hoje, paira o mistério do técnico Guto Ferreira ter deixado Vina no banco, por tempo e meio de jogo, escalando Jorginho. A desculpa esfarrapada que deu é de fazer cócegas - "Questão de planejamento". De que cara-pálida? Jorginho é bom jogador, até faria ótima dupla com Vina. Saldanha em sua santa sabedoria repetia - "Craque no meu time joga até com a perna engessada". Que melada (imperdoável) esta do Gordiola.

FALTAS A GRANEL

.O QUE não faltou na decisão do título foi falta. Pra todos os gostos, mas ninguém, menos mal, foi expulso. Ao todo 49 faltas. O que vale dizer, pela matemática infalível, uma falta a cada 2 minutos. Esqueceram a bola e tome canelada a torto e a direito...

FALTOU ENCARAR

.O ÁRBITRO Fifa, de atuação, apenas regular, não teve peito de confirmar o pênalti por ele marcada quando Tinga esbarrou em Jorginho dentro da área. Chegou até a apontar para a marca fatal quando foi advertido pelo VAR. Certo ou errado? Se ele não tinha dúvidas, pois estava em cima do lance, poderia ouvir ou não o VAR. A opção era dele. Dacíldo Mourão, nosso único árbitro Fifa, bateu forte no apitador -"Ele foi frouxo em não confirmar o que havia marcado. Nas quatro linhas, apesar do VAR, o árbitro ainda é dono das decisões. O árbitro, corajoso, bem entendido. Os frouxos, não".

VIROU FREGUÊS

.GUTO Ferreira não há meio de vencer o Fortaleza, no comando do Ceará, no Estadual. Em cinco jogos, três empates e duas derrotas. No dito popular, virou freguês do maior rival.

PRIVILÉGIO DOS FANTASMAS

.PASMEM. Este foi o nono clássico-rei sem a presença de torcedores. E, também, o segundo título em que não acontece a tradicional volta olímpica. Para quem se não há público no Castelão? Volta olímpica foi criada como espécie de homenagear e agradecer aos torcedores. Se já não há mais torcidas nos estádio, a volta olímpica tornou-se obsoleta. Pelo menos enquanto a pandemia perdurar. Foi como desabafou o veterano Wellington Paulista - "Sem volta olímpica perde a graça".

OS MAIS ASSÍDUOS

.ELENCO do Fortaleza, apenas 11 jogadores completaram os três títulos. Mas o privilégio de ter sido titular em todos os jogos, das três campanhas, coube ao ótimo goleiro Felipe Alves que atuou em todas as partidas sem dar vez aos seus reservas imediatos. Há um porém em tudo isso. Qual? Goleiro é o jogador que raramente se contunde em partidas de futebol.

NOS CALCANHARES

.MESMO com o tricampeonato conquistado domingo, o Fortaleza ainda não conseguiu superar, sequer empatar, com o Ceará em número de títulos em toda a sua história. Contudo, está rosnando nos calcanhares do Alvinegro. Agora, são 45 títulos do Ceará contra 44 do Fortaleza.

PROEZAS DO DESTINO

.DOIS jogadores do Ceará poderiam ter sido tricampeões pelo Fortaleza, mas não receberão as medalhas. São eles, o lateral Gabriel Dias e volante Marlon, que deixaram o Tricolor indo para o rival. Marlon, através de acordo. Gabriel porque o contrato terminou e ele não renovou com o Fortaleza, optando por melhor proposta acenada pelo Ceará. Não deram sorte e levaram azar.

LIVROU-SE DAS VAIAS

.DEIXAR Vina no banco, com desculpa esfarrapada, e sem sentido, livrou Guto Ferreira de levar estrondosa e monumental vaia se o Castelão tivesse torcedores dentro dele. Me faz lembrar história do grande Ruy do Ceará, quando dirigia o Ferroviário em sua época de ouro. Avisava ao técnico -"Você pode escalar o time que quiser, mas a última palavra é a minha. Se aprovar, é o que você escalou. Caso contrário terá que mudar."

RESPEITE O EXCESSO

.É VERO. Em campo, para a decisão, estavam 13 árbitros, afora os contratados que receberam nota alta, incluso aí o árbitro do VAR. Os da terra, pra qualquer emergência, também ganharam uma cota. Menos, mas ganharam. Quem pergunta quer saber - qual o motivo de tantos apitadores para um jogo só?

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais