Foto de Alan Neto
clique para exibir bio do colunista

Colunista do O POVO, Alan Neto é o mais polêmico jornalista esportivo do Ceará. É comandante-mor do Trem Bala, na rádio O POVO/CBN e na TV Ceará. Aos domingos, sua coluna traz os bastidores da política e variedades.

Alan Neto esportes

Para quem esqueceu, uma lembrança: tem Fortaleza x CRB na Copa do Brasil

Tricolor recebe o time alagoano no jogo de ida das oitavas de final do torneio nacional
Substituindo Felipe Alves, Marcelo Boeck chega ao terceiro jogo sem sofrer gol (Foto: FABIO LIMA)
Foto: FABIO LIMA Substituindo Felipe Alves, Marcelo Boeck chega ao terceiro jogo sem sofrer gol

- JÁ se havia até esquecido que a Copa do Brasil ainda existia. Neste estrambótico calendário do futebol brasileiro, sempre cabe mais uma competição, mesmo que seja para atrapalhar o andamento das coisas. Repararam?

- POIS é. De repente, eis de volta a Copa do Brasil, através de jogos que ficaram suspensos durante algum tempo enquanto o Brasileirão se iniciava. Até quando o futebol brasileiro vai continuar nessa desorganização, sem seguir uma linha coerente de competições, em seu devido tempo e espaço? Sabe-se lá.

- HOJE, por exemplo, interrompe-se a Séria A para que entre em cena a tal Copa do Brasil. Nada contra se as coisas seguissem um calendário coerente e organizado. Ou seja, cada coisa em seu devido lugar e no seu devido tempo. Mas sempre foi assim. Nelson Rodrigues tinha razão, numa de suas frases geniais — "O brasileiro é um feriado só, em que tudo que faz".

AMNÉSIA

- LEVANTE o braço quem lembrava, por exemplo, que ficara para trás, alguns meses atrás, este jogo de hoje à tarde, meio de semana, (16h30min) entre Fortaleza x CRB, primeiro da série mata-mata? Quase ninguém, todos voltados para o Brasileirão, mesmo em seu andamento lento e gradual, com suas 19 rodadas em dois turnos. Chega um momento que cansa a beleza de qualquer um.

- ISSO posto, Fortaleza e CRB estarão, hoje, na disputa de uma vaga na Copa do Brasil, seguirem em frente ou não. A decisão será uma semana depois lá em Maceió. Time por time, tomando-se como parâmetro o Brasileirão, o Fortaleza pode ser apontado como favorito. CRB é uma equipe de limitações técnicas, embora se faça respeitar pelo seu histórico. Não é tudo, mas pesa.

BOM TEMPO

- ARES do Castelão têm feito muito bem ao Fortaleza, nesta fase sob o comando do argentino Vojvoda, que se tornou espécie de xodó dos torcedores. Time ganhando, técnico sobe de cotação, como se só ele conseguisse vencer uma partida. Mas vá tirar isso da cabeça do torcedor?

- TANTO assim é verdade que ele se mantém invicto em casa e, no Brasileirão, sua cotação é muito alta. Mas Copa do Brasil é outra história? Nem tanto assim. Time por time, teoricamente, o Tricolor é bem melhor. Funciona na prática? Às vezes sim. Outras não.

- VANTAGEM que o argentino Juan Pablo leva é o de ter adaptado o Fortaleza a sua forma de ver futebol. Esse enredo já foi contado mil vezes. Impôs seu estilo, deu certo, acumulou vitórias, segue em frente. Não se sabe até quando, mas por enquanto vai bem na fita.

NÔMADES

- DESDE que inventaram a bola de pano, depois de pito, no futebol, as histórias são sempre distintas, nenhuma parecida com a outra, embora as fases existam, boas e más. O Fortaleza atravessa ótima fase, sem conhecer derrotas, embora para tudo haja um limite.

- CRB pouco ou quase nada se sabe dele, enxertado de alguns reforços que passaram por aqui no Ceará e não emplacaram. Uma coisa nada a ver com a outra. Tal qual nômades, podem errar num canto e acertarem noutro. A tradição de jogo entre Fortaleza e CRB, a vantagem tricolor é ampla. Significa o quê, afinal? A prática da bola rolando irá revelar. Sem surpresas. Ou com.

RECHEIOS

- AOS poucos o Ceará vai recheando seu elenco, rebocando alguns valores, maioria desconhecida, exceção deste Érick, que se revelou no Náutico. Trata-se de um meia que chega, jogando naquela posição em que o Vina atua, Jorginho e outros. Não é o goleador de que tanto o time carece, não é de agora. Todos sabem disso menos a diretoria. Encontrá-lo é que são elas.

- TENTATIVAS de um camisa 9 foram muitas. Todas fracassaram. Até o Vizeu, que se mandou e não deixou saudades. Ficou o Jael que chega ao cúmulo de ser pior que o Vizeu e o Cléber, que não passará daquilo, apesar de novo. Culpa deles? E também do técnico Guto, com aquele futebol cansativo de se ver, sempre optando pelo empate, quer dizer, não perder.

PAR OU ÍMPAR?

- ENTRE Boeck e Felipe Alves, quem? Boeck, que voltou a ser titular, está jogando bem, nunca reclamou em ser reserva, até esperar sua chance que veio e ele segurou a posição. Se é assim, por qual razão tirá-lo?

RASTILHOS

- ÉRICK chegou ao Ceará trazendo uma novidade. Qual? Descoloriu o cabelo, que hoje é a nova moda, aliás, está de volta... /// E O FLORESTA, hein! A fase é tão ruim que só podem ter desmatado a tradicional Vila Manoel Sátiro... /// AO invés de ter transformado a punição dos briguentos em cestas básicas, o STJD devia, isto sim, ter ampliado as penas, dobrando-as por exemplo. Quem briga um dia, briga no outro... /// PROCURO uma camisa do Ferroviário para comprar e não acho. Uma pra mim, outra pra minha neta. Nem à venda tem. Quanta saudade dos tempos de Ruy do Ceará, o maior dirigente da história do nosso futebol.

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais