Foto de Beatriz Cavalcante
clique para exibir bio do colunista

Jornalista formada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Ceará (UFC). É editora digital de Economia do O POVO, onde começou em 2014. Atualmente, cursa MBA em Gestão de Negócios e está andamento de Certificação Internacional em Marketing Digital pela ESPM

É preciso gastar para economizar

Beatriz Cavalcante (Foto: 03 22:57:28)
Foto: 03 22:57:28 Beatriz Cavalcante

O discurso de não gastar, economizar o máximo possível, não corresponde à realidade dos brasileiros. Já somos inclusive 72% dos consumidores endividados, um recorde segundo índice da Confederação Nacional do Comércio, Bens, Serviços e Turismo (CNC). Dados Serasa apontam para 62 milhões de pessoas endividadas no Brasil.

O cartão de crédito continua sendo o vilão, juntamente com as dívidas bancárias, representando 29% dos motivos do endividamento. As contas do mês seguem logo atrás, com índice de 24%, o que contempla os boletos nada cringe de água, luz, gás, IPTU, IPVA.

Portanto, o que nós brasileiros precisamos aprender é a gastar. Não adianta ficar dizendo "ei, economize mais"; ou "não compre". A forma de falar e como aprender para termos o tão almejado controle financeiro é assertivamente e por meio de uma atitude que já fazemos: "gaste com sabedoria".

Pode até parecer o mesmo discurso, mas o efeito na mente é diferente. Já que não vamos deixar de gastar mesmo, pois cada vez mais o que consome os nossos recursos são as contas básicas, como se pode ver pelo levantamento CNC, então que saibamos como despender os nosso dinheiro.

Isso vale para como vou consumir a energia em casa, a água e até mesmo o gás, que passou dos R$ 100. No fim das contas ou do mês, como preferir, o resultado será o mesmo? Sim, será: a economia. Mas o efeito psicológico é diferente.

O nosso ímpeto é o de comprar, usar. Trabalhamos para que, não é mesmo? Mas para alcançar o fim desejado é preciso o básico de planejamento.

Saber o seu estilo de vida, o seu perfil de gastos, e ter de cor o quanto se compra é o primeiro passo para usar seu dinheiro de maneira mais inteligente. Então se conhecer é essencial para aprender a gastar.

Afinal, a compra, muitas vezes, é algo impulsivo, que mexe com o emocional. E sabendo das suas emoções você vai economizar mais, ops, gastar melhor.

A ideia é também fazer a escolha certa de como vai passar o seu cartão de crédito e que esteja dentro do seu orçamento. E diante da alta da inflação generalizada nos produtos, a educação é um dos principais meios de conseguir voltar para o patamar de bom pagador. n

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais