Foto de Carlos Mazza
clique para exibir bio do colunista

Colunista de política, o jornalista Carlos Mazza coordena o O POVO Dados, núcleo que trabalha com reportagens a partir de bancos de dados. Já foi repórter de Política e repórter especial do O POVO.

Carlos Mazza política

Camilo e Sarto falharam em puxar PT para base em Fortaleza

A postura dos três vereadores do PT - Guilherme Sampaio, Larissa Gaspar e Ronivaldo Maia - continua pela oposição ao prefeito José Sarto mesmo após articulações diretas tanto do prefeito quanto do governador Camilo Santana (PT) no sentido contrário
Tipo Opinião
Senador Tasso Jereissati  (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado Senador Tasso Jereissati

Próximo da marca dos seis meses da gestão José Sarto (PDT), parece já ser seguro atestar: o PT de Fortaleza seguirá sendo partido de oposição em Fortaleza. A postura dos três vereadores da sigla - Guilherme Sampaio, Larissa Gaspar e Ronivaldo Maia - continua pela oposição mesmo após articulações diretas tanto do prefeito quanto do governador Camilo Santana (PT) no sentido contrário. Pelo visto, prevalece na bancada tese da deputada Luizianne Lins (PT), opositora de Cid e Ciro Gomes (PDT) no Estado.

A novela envolvendo postura de petistas na Capital começou ainda no segundo turno da eleição do ano passado, quando diversos petistas - com exceção de Luizianne - declararam apoio a Sarto na disputa. Na época, o entendimento era o de que a derrota de Capitão Wagner (Pros), que recebia apoio de Jair Bolsonaro, era prioridade na Capital. Já naquela época, no entanto, os vereadores eleitos pelo PT afirmavam que não fariam parte da base de uma eventual gestão Sarto na Câmara Municipal.

A postura pela oposição chegou a ser "oficializada" em uma reunião da bancada ainda em dezembro do ano passado. Poucos dias após o encontro, no entanto, a Executiva Estadual do partido votou recurso derrubando a decisão e mantendo a sigla na indefinição. De lá para cá, foram várias as declarações de Sarto, Camilo e de dirigentes petistas no sentido da busca por uma aproximação maior entre PT e PDT na Capital.

Seis meses depois, no entanto, a bancada da sigla permanece crítica e com votos contrários ao prefeito no parlamento. Há várias semanas, pessoas ligadas ao PT Fortaleza têm apontado a inexistência de conversas ou novas definições recentes sobre o caso. Pelo visto, a coisa já deixou de ser prioridade dentro do partido.

Senador Tasso Jereissati
Senador Tasso Jereissati

Wagner x Tasso

Grupo do deputado Capitão Wagner (Pros) e do senador Eduardo Girão (Podemos) abriu fogo na última semana contra o ex-aliado Tasso Jereissati (PSDB) no Legislativo cearense. As críticas ocorreram após o tucano votar contra a convocação de Carlos Gabas, ex-secretário executivo do Consórcio Nordeste, na CPI da Covid. Em discursos na Câmara Municipal de Fortaleza, tanto Márcio Martins (Pros) quanto Julierme Sena (Pros) fizeram pesadas críticas contra o senador, se dizendo decepcionados pela postura. O pedido de convocação de Gabas tinha sido apresentado por Eduardo Girão, aliado de Martins e Sena e integrante do grupo coordenado por Capitão Wagner no Ceará.

Fogos barulhentos

Após anos de tramitação lenta no Legislativo local, a Câmara Municipal enfim aprovou, na última semana, redação final do projeto que proíbe o uso de fogos de artifício com estampidos altos em Fortaleza. A aprovação em 1ª votação chegou a ser anunciada por veículos de imprensa há algumas semanas, mas somente na última quinta-feira o projeto recebeu aval final do Legislativo fortalezense.

A proposta, apresentada em 2017 pela vereadora Larissa Gaspar (PT), prevê a obrigatoriedade do uso de fogos silenciosos e seguirá agora para a análise do prefeito José Sarto (PDT). Segundo texto da lei, que segue normas semelhantes já aplicadas em São Paulo e Brasília, barulho de fogos não pode ultrapassar a intensidade de 150 decibéis.

Mototáxis

A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou, em sua última sessão, projeto do vereador Marcelo Lemos (PSL) que autoriza mototaxistas a utilizarem faixas e corredores exclusivos para ônibus em Fortaleza. A proposta resgata polêmica antiga em Fortaleza: na Legislatura passada, vereadores chegaram a aprovar medida semelhante, mas que nunca foi implementada pela gestão Roberto Cláudio (PDT). Em 2015, mototaxistas chegaram inclusive a realizar uma manifestação contra a não aplicação da medida.

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais