Foto de Demitri Túlio
clique para exibir bio do colunista

Repórter especial e cronista do O POVO. Vencedor de mais de 40 prêmios de jornalismo, entre eles Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), Embratel, Vladimir Herzog e seis prêmios Esso. É também autor de teatro e de literatura infantil, com mais de dez publicações.

Guerra sem fim, a série

O POVO Mais estreia a segunda temporada da série "Guerra sem fim". Um documentário sobre as disputas de grupos armados pelos territórios do tráfico no Ceará
Tipo Crônica
Bastidores da produção do documentário
Foto: Demitri Túlio Bastidores da produção do documentário "Guerra sem fim", do O POVO Mais. Uma série que investiga o fenômeno da violência imposta pelas facções criminosas na periferia de Fortaleza, no Ceará

 

Em um dos depoimentos, uma vítima de grupos armados da periferia de Fortaleza "dispara" que a melhor saída para o terror de expulsões de famílias seria o Estado construir condomínios já pensando em qual facção domina a comunidade.

Pode parecer absurda a declaração, mas não é. Não estou defendendo o discurso da vítima, apenas dando ouvido ao desespero de quem vive tangido feito bicho nas periferias de Fortaleza e da Região Metropolitana.

Sem ter mais em quem acreditar e viver no sobressalto, até ser assassinado por morar em um território onde há um poder paralelo, tem hora que a criatura se rende aos códigos da violência.

Foi assim também quando até o Estado, na desesperação da então secretária da Justiça Socorro França, aceitou dividir os presídios entre facções em 2018.

Assista o trailer da segunda temporada do documentário Guerra sem fim

Uma decisão para evitar uma carnificina, discurso de Socorro em entrevistas na época, e deu em mais poder aos bandos bélicos. Desembocou ainda em duas ondas de ataques contra a Cidade loteada pelo crime.

A narrativa sobrevivente da vítima é uma das que costura a segunda temporada da série "Guerra Sem Fim". Estreia amanhã na plataforma streaming do O POVO Mais (mais.opovo.com.br).

Uma crônica visual com tratamento delicado sobre o desigual numa Cidade em contínuo inchamento social e de concentração de renda cada vez mais sovina e violenta.

Delicada também porque há riscos para o outro na hora de construir a narrativa sobre as facções para o audiovisual. Compreensível pois o medo impera e, cotidianamente, torna invisível quem mais é afetado nas comunidades sitiadas pelas hordas armadas.

Em mais três capítulos, ancorados na investigação jornalística e se valendo da produção audiovisual, documenta-se o cotidiano de comunidades, a exemplo da ocupação 7 de Setembro, no Bom Jardim.

Mesmo em meio à pandemia, os moradores de ruas de lá se viram obrigados a deixar as casas por causa da disputa perversa entre GDE e Comando Vermelho.

Imagine a Rui Barbosa, no miolo da Aldeota no trecho entre a rua João Carvalho e a avenida Santos Dumont, moradores e comerciantes serem expulsos das moradas e dos negócios pelo CV, GDE e PCC? Até aqui, impensável.

Lá no Bom Jardim um mercadinho de médio porte não resistiu ao inacreditável. Você entra e sai do prédio,  sem portas e janelas abertas para a rua vazia, e cai num universo paralelo em Fortaleza.

Cai noutra dimensão, na mesma Cidade, e dá de cara com pelo menos 30 casas esvaziadas. Roupas deixadas pelo chão, louças na pia, brinquedos esquecidos provavelmente na pressa de não matarem as crianças, redes atadas, quadros ainda na parede e um silêncio perturbador.

"Refugiados Urbanos" é o episódio que abre a segunda temporada do "Guerra Sem Fim". Além de vítimas, especialistas e personagens do poder público que não fugiram do convite discutem a problemática de quem sofre com "deslocamentos forçados".

A segunda temporada da série documental do O POVO Mais vem com em três episódios: "Refugiados Urbanos", "GDE: como nasce uma facção" e "Juventude Sobrevivente".

Traz também análise dos sociólogos Camila Holanda (Uece/LEV/UFC), Luiz Fábio Paiva (UFC/LEV), Thiago de Holanda (Rede Acolhe), do deputado estadual Renato Roseno (Comitê de Cearense Pela Prevenção de Homicídios na Adolescência), do tenente-coronel Hideraldo Belini, do educador social Leonardo Rodrigues, do advogado Cláudio Silva e grande elenco.

Assino o "Guerra Sem Fim" com Cinthia Medeiros, Arthur Gadelha, PH Diaz, Fco Fontenele, Júlio Caesar, Carlus Campos, Chico Marinho, Ana Régia, Raphael Góes, Fernanda Barros, Eduardo Azevedo e Alexandre Rodrigues.

Hoje, faço o convite para conferir a série no O POVO Mais.

Assista à primeira temporada de Guerra sem fim

Episódio1 - A Onda de Violência

Episódio2 - Tribunais do Crime

Episódio 3 - Caminhos do Crime

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais