Foto de Dicas da Tais
clique para exibir bio do colunista

Arquiteta e Urbanista, especialista em Arquitetura e Projetos Sustentáveis e Mestra em Ciência da Cidade. Professora Universitária e atuante na área da Construção Civil, da Arquitetura e do Design de Interiores

Dicas da Tais arquitetura e construção

O que mudou na arquitetura durante a pandemia?

Se a gente pudesse colocar aqui uma enquete, quem ai não transformou o quartinho da bagunça em home office? Ou melhor, quem não aumentou a família das plantinhas em casa? Agora essa é a melhor: quem não colocou um ou... alguns, sapatinhos na porta de casa?
Estilo de decoração na sala com cabideiro e um local para sapatos (Foto: Blog Pam Lepletier)
Foto: Blog Pam Lepletier Estilo de decoração na sala com cabideiro e um local para sapatos

A arquitetura, o design e a construção ganharam mais visibilidade nos últimos tempos. Com a vinda da pandemia, o morar ficou diferente. Afinal, quem ficou em casa nesta pandemia com certeza mudou alguma coisinha, não é mesmo?

A ideia dessa nova coluna, “Dicas da Taís”, é trazer pra vocês conselhos valiosos do mundo da arquitetura, da construção, do design, do urbanismo e de como você mesmo pode personalizar sua casa e deixar ela mais a sua cara.

Essas dicas vão estar disponíveis aqui na nova coluna do O POVO e vão ter diversos temas legais sobre arquitetura e construção, sendo atualizadas quinzenalmente, às segundas e, como o nome já diz: comigo, Taís Valente – Arquiteta e Urbanista (Uhu!).

Provavelmente, durante a pandemia, os seus espaços em casa passaram a ser mais utilizados. Mas afinal, o que mudou na arquitetura durante a pandemia?

A ideia do primeiro artigo dessa coluna, é trazer aprendizado com uma leitura leve. Às vezes, com uma simples e rápida olhadinha, a gente consegue tornar espaços mais funcionais e lindos, podemos compartilhar dicas com os amigos e com a família e sempre atualizar nosso cantinho envolvendo amor e aliando a arte que é viver com a arquitetura dos espaços. No fim das contas, a boa arquitetura é aquela que se adequa melhor ao nosso modo de viver, consequentemente mudando nosso bem-estar.

Se a gente pudesse colocar aqui uma enquete, quem ai não transformou o quartinho da bagunça em home office? Ou melhor, quem não aumentou a família das plantinhas em casa? Agora essa é a melhor: quem não colocou um ou... alguns, sapatinhos na porta de casa?

Os espaços depois da pandemia, com certeza, ganharam lugar na história. Muita gente querendo projetar um quarto pequenininho de serviço na entrada de casa pra guardar a roupa que vem da rua e usar de novo depois no outro dia e não misturar com as outras; um lugar pra colocar sandálias e coisinhas pra não esquecer de tirar de casa e não ficar no meio do caminho... Sabia que, em algumas cidades, nos Estados Unidos, eles já tinham esse costume, mas por conta das roupas de frio?

Fico me perguntando: Será que aqui reinventamos esse espacinho?!

Além de novos layouts e dimensionamentos de espaços, alguns mobiliários e grandes designers criaram seus próprios modelos de sapateira pra colocar na porta de casa. Pelo menos lá em casa, até as visitas agora precisam tirar o sapato pra entrar. Virou hábito e entrou pra rotina!

E as plantinhas? Quando a correria do dia a dia voltar de novo (doida pra que chegue esse dia), quem vai cuidar das milhões de mudas que inventei de colocar dentro de casa? Quem tem espaço com certeza deve ter arranjado um cantinho extra pras hortinhas, não é mesmo?

E pra finalizar, o local da limpeza dentro de casa ou a aquisição de novos equipamentos de limpeza mais eficientes. Separar o lixo de maneira adequada, o cantinho na cozinha na hora de colocar as compras do supermercado para serem higienizadas, tudo isso e muito mais coisas ganharam importância na nossa vida depois da pandemia.

O projetar ganhou nome! As atividades dentro de casa precisam ser mais funcionais, bem pensadas e os ambientes precisam ser mais valorizados. Independentemente de material e estilo. Não é exagero dizer que a gente passou mais tempo em casa nesses últimos meses, é?

 

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais