Érico Firmo
clique para exibir bio do colunista

Escreve sobre política, seus bastidores e desdobramentos na vida do cidadão comum. Além de colunista, é coordenador das plataformas digitais do O POVO. Já foi editor adjunto de política e editor-executivo de Cidades no O POVO.

política
Opinião

Personagens da política cearense 2019

Capitão Wagner dificilmente deixará de liderar as pesquisas até o início da campanha
Capitão Wagner dificilmente deixará de liderar as pesquisas até o início da campanha

O calendário político do Brasil tem anos de dois tipos: os pré-eleitorais e os eleitorais. Quando não se está em um está em outro. O primeiro se organiza em função do segundo. Por isso, falar em personagens do ano que se encerra significa olhar para desdobramentos no ano que vem.

Importante dizer que apontá-los como personagens do ano não significa dizer que foram destaques positivos. Significa analisar o impacto que as ações deles teve e o que ainda poderá ter.

Fortaleza 2020

Ninguém agitou tanto os bastidores pré-eleitorais no Ceará quanto Capitão Wagner (Pros). Amarrou alianças significativas para um candidato de oposição a um ano da eleição. Claro, perto das alianças governistas, é pouquinha coisa. Fosse nas vésperas da eleição, não seria grande coisa. A essa altura, tem seu peso. As últimas candidaturas de oposição que me recordo de terem amarrado acordos relevantes, e com antecedência até menor, foram as de Cid Gomes em 2006, Roberto Cláudio em 2012 e Eunício Oliveira em 2014. Só a última saiu derrotada. Todas, porém, tinham ao lado partidos maiores que os que estão com Wagner. O Capitão dificilmente deixará de iniciar a campanha na frente nas pesquisas. Tem um ótimo ponto de partida, mas precisará de mais para chegar na frente.

Samuel Dias foi outro nome que teve seu destaque. Pela óbvia intenção do prefeito Roberto Cláudio (PDT) de viabilizá-lo como candidato. Samuel teve protagonismo administrativo. Do ponto de vista político, apareceu sem brilhar. Foi quem mais se destacou entre os integrantes da gestão municipal. Mas, a Prefeitura termina 2020 sem ter um candidato óbvio.

Guilherme Sampaio assumiu o PT em Fortaleza e se colocou como alternativa a Luizianne Lins. É uma novidade no jogo.

Quem poderia ser novidade, mas não deverá ser, é Geraldo Luciano. O empresário fez diversos movimentos para ser candidato pelo Novo. Mexeu com o meio econômico e, com isso, provocou efeitos colaterais na política. Porém, terminou o ano assumindo função no plano de saúde Hapvida e praticamente saindo da disputa eleitoral.

Quem fez barulho

O deputado estadual youtuber André Fernandes se elegeu na carona da onda Jair Bolsonaro e espelhou a perfeição, no Ceará, o estilo do presidente. Comprou brigas que teria evitado se não fosse a incontinência verbal. Em 2020, dificilmente escapará de uma suspensão de seu mandato.

O controle do Legislativo

José Sarto (PDT) assumiu a Assembleia Legislativa e apadrinhou o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza. Acumulou bastante poder político ao longo de 2019. A ponto de haver movimento de políticos tradicionais para que seja ele o candidato governista a prefeito.

Desempenho administrativo

Na gestão estadual, destaque foi Mauro Albuquerque, que desmontou a organização das facções a partir dos presídios. Com isso, teve resultados determinantes para a segurança pública, a ponto de bem menos se ter falado de André Costa.

Nome que ganhou força a partir da reforma administrativa, foi Élcio Batista. O chefe da Casa Civil, inclusive, é outro que surge como nome governista para a Prefeitura.

Ceará no Congresso

Como relator do Orçamento da União, Domingos Neto (PSD) foi o cearense que mais se destacou na Câmara dos Deputados. No Senado, Tasso Jereissati (PSDB) relatou a reforma da Previdência e foi das vozes mais relevantes do Congresso. E Eduardo Girão (Podemos) conseguiu visibilidade rara para um novato.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais