Foto de Fernando Graziani
clique para exibir bio do colunista

Editor Chefe de Esportes do O POVO; apresentador do Esportes do Povo no Canal FDR e nas rádios O POVO CBN e CBN Cariri e plataformas digitais; comentarista de esportes da Rádio O POVO CBN/CBN Cariri. Além de Comunicação, é formado em Direito

Perigosos caminhos para Ceará e Fortaleza na Série A

Alvinegro recebe a lanterna Chapecoense, Tricolor enfrenta o vice-lanterna Sport e ambos encaram a pressão pro resultados após seis rodadas sem vitória na Série A
Tipo Opinião
Tiago Nunes conseguiu sua primeira vitória como técnico do Ceará (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
Foto: Aurelio Alves/O POVO Tiago Nunes conseguiu sua primeira vitória como técnico do Ceará

O encontro do Ceará (hoje, às 17 horas) diante da Chapecoense é daqueles em que a obrigação está totalmente de um lado. Por si só, então, o jogo se torna tenso e perigoso. O Alvinegro está na 13ª colocação, precisa da vitória de qualquer forma, não ganha há seis jogos, estará em casa e contra o pior time da Série A (por mais que a equipe catarinense tenha bons momentos e não seja um saco de pancadas). Qualquer resultado que não seja a soma de três pontos não terá justificativa que acalme a torcida. Assim, a pressão sobre elenco e Tiago Nunes será naturalmente grande. Por outro lado, caso consiga cumprir a obrigação e superar a já anunciada retranca da Chape, terá conforto para a campanha e sossego para mais uma semana de trabalho até o encontro diante do Bahia, no dia 2 de outubro.

Pressão também para o Fortaleza

Quem também não ganha há seis jogos é o Fortaleza, ainda que a campanha de 33 pontos dê um pouco mais de tranquilidade, assim como a presença histórica para o Tricolor na semifinal da Copa do Brasil. Entretanto, há muitos clubes se aproximando na classificação. A gordura que os comandados de Vojvoda tinham não existe mais. Bragantino, Corinthians, Internacional e Fluminense estão na caça do Fortaleza, que somou apenas três pontos nos 18 mais recentes disputados. É um desempenho recente bem ruim e que pode até impactar na participação da Libertadores se uma reação não for logo colocada em prática. Assim, diante do Sport (amanhã, 18h15min), que incrivelmente não faz um gol há sete partidas, também a obrigação se volta toda para o time do Pici. E o perigo também.

De olho nos torneios da Conmebol

Além de procurar fazer a melhor campanha possível no Brasileirão, Ceará e Fortaleza hoje estão estruturados e brigam por vagas para competições internacionais organizadas pela Conmebol. De início, pelo regulamento, a Série A do Campeonato Brasileiro concede seis para a Copa Libertadores de América da temporada seguinte e outras seis para a Sul-Americana. Ocorre que existe uma grande possibilidade de o Brasil ter sete, oito ou nove representantes na Libertadores, mantendo os seis na Sula, abrindo então mais possibilidades de vagas em torneios internacionais para Alvinegro e Tricolor (que pode garantir presença direta se for campeão da Copa do Brasil). Hoje, apostaria que ambos estarão disputando jogos fora do país em 2022, ganhando prestígio e ótimas cotas por participação.

A hora de os sócios voltarem

O Fortaleza já bateu 35 mil sócios em fevereiro de 2020, seu recorde histórico. Hoje, tem cerca de 13,2 mil. O Ceará soma atualmente 14,8 mil, mas esteve perto dos 23 mil. As perdas, significativas, agora podem começar a ser recuperadas com a volta do público ao Castelão, que está próxima. Por mais que os planos de ambos tenham muitas vantagens financeiras, o motivo principal para um torcedor se tornar sócio é poder ir ao estádio por um valor mais interessante e sem precisar comprar ingressos. A ordem no Ceará e no Fortaleza é colocar toda a estrutura tecnológica e de atendimento para receber mais sócios novamente.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais