Foto de Gal Kury
clique para exibir bio do colunista

Professora em MBAs de Marketing do IBMEC Business School e da Unifor. Consultora na Gal Kury Marketing & Branding.

Gal Kury opinião

A base do iceberg

Tipo Opinião
Consultora de Marketing e docente (Foto: Arquivo Pessoal)
Foto: Arquivo Pessoal Consultora de Marketing e docente

Hoje em dia parece que todo mundo quer tudo pronto. Como num passe de mágica, muitos desejam que os seus trabalhos, seus estudos, suas conversas difíceis se resolvam instantaneamente.

Exige muito esforço atingir algo, vencer desafios, concluir uma etapa. É como querer ter um prato maravilhoso feito sem ter que passar pelas fases da compra de insumos, receitas e depois ainda ter que lavar a louça.

Eu sempre falo para os meus alunos: parem, pensem, analisem. Na era do Google temos uma facilidade em obter respostas imediatas a (quase) todas as questões.

Fico arrasada ao ver um trecho de trabalho copiado na íntegra, parece uma preguiça de construir pensamentos, de construir processos e querer tudo pronto sem o menor esforço.

Querem ver apenas o topo do iceberg sem ter a base consolidada, ou saber o que está por trás.

Pular etapas necessárias ao andamento de um processo natural pode ser muito prejudicial no sentido do desenvolvimento da capacidade de pensar e reagir aos desafios.

Existe um conceito traduzido em uma expressão - "lazy thinker" - que qualifica uma pessoa cujo foco é ter a solução mais simples, o pensamento que chegar mais rápido ao seu acesso.

Para responder de forma mais rápida e eficiente às mais variadas demandas da vida cotidiana, nossos cérebros agilizam o processo de tomada de decisão, criando atalhos.

Chamados de heurística, esses atalhos que escolhem e usam as informações disponíveis podem levar você a fazer julgamentos precipitados, pois o que você economiza no tempo, você perde em precisão.

Se sua heurística falhar, seus julgamentos também podem seguir pelo mesmo caminho. Eles fazem você acreditar em coisas que não são verdade e ignoram coisas que são.

Como, por exemplo, acreditar em fake news sem antes checar a procedência e veracidade. Fundamentalmente, você está se transformando em um "pensador preguiçoso".

Como no ditado popular que diz: "fulano quer as coisas mastigadas." Use seus dentes, suas facas e garfos. O sabor da conquista e do progresso vai ser bem melhor. n

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais