Foto de Guilherme Ashara
clique para exibir bio do colunista

Psicoterapeuta sistêmico com especialização em Psicologia Transpessoal e Psicoterapia Somática Integrada. Viveu na Índia onde se aprofundou em diversas abordagens terapêuticas e de meditação. Fez cursos e supervisão em Constelação Familiar com Bert e Sophie Hellinger e foi o introdutor da Constelação no Ceará; Ashara atende individualmente e ministra cursos de formação em Constelação em diversas cidades do Brasil. Veja mais: www.ashara.com.br

Guilherme Ashara comportamento

Geração ‘Ageless’: usufruindo a vida além da idade

O termo se refere aqueles "setentões e setentonas" que se comportam e vivem como se tivessem 30 ou 40 anos. Mas como viver para além da idade?
Tipo Crônica
Outra excelente ferramenta que pode nos ajudar a viver ‘além da idade’ é a meditação.  (Foto: Marcus Aurelius / Pexels)
Foto: Marcus Aurelius / Pexels Outra excelente ferramenta que pode nos ajudar a viver ‘além da idade’ é a meditação.

Acordei hoje, sábado, pela manhã, fiz uma salada de frutas, enquanto minha mulher preparava café e ovos cozidos. Terminado o café-da-manhã, me preparei para ir para a academia jogar tênis-de-mesa.

Pensei em jogar apenas três partidas hoje porque ontem pela manhã já tive um treino intensivo de tênis-de-mesa de uma hora e meia, e sai às pressas pra começar mais uma hora de pilates. Mas o ‘verme’ me fez acabar jogando seis partidas de cinco sets. E ainda pretendo ir para o clube de tênis-de-mesa no domingo para ‘rachar’ com os amigos.

Isso tudo para um jovem de 20 ou 30 anos de idade parece normal, mas para um ‘sessentão’ como eu pode ser considerado excepcional. Ressalto também que participo de campeonatos cearenses de tênis-de-mesa e tenho várias taças e medalhas da minha categoria, inclusive medalha de ouro.

A Geração ‘Ageless’ (do inglês ‘sem idade’) está habitando o planeta terra e é muito bem-vinda. O termo ‘ageless’ foi inicialmente utilizado para descrever mulheres de 50 anos que se comportavam e tinham energia de 30 anos; ou uma sessentona com a energia de uma quarentona. Podemos, com certeza, incluir também os sessentões que, como eu, se comportam e vivem como se tivessem 30 ou 40 anos. Estamos vivendo uma geração que a idade é o que menos importa.

Talvez vocês imaginem que isso acontece porque já sou aposentado e passo a semana procurando como me divertir e me manter em boa forma física.

Errado! Não sou aposentado e, pasmem, não pretendo me aposentar! Acho que isso também me ajuda a não olhar para a vida como quem já trabalhou muito e agora só quer descansar e curtir a vida. De jeito nenhum, curto a vida a cada dia, a cada momento, mesmo trabalhando.

"Quando mantemos os sonhos e os planos para o futuro vivos, podemos, sim, manter acesos nossa vitalidade e criatividade."

Nos últimos quinze anos tenho trabalhado no meu consultório de terapia apenas três dias por semana. Durante a pandemia, passei a atender online diariamente, porém não atendo mais de três clientes por dia. Não sei e não pretendo saber tão cedo como é a vida de um aposentado. Pretendo me divertir e trabalhar até meu corpo pedir pra parar. E pretendo cuidar bem dele até os meus últimos dias de vida.

Se você deseja viver uma vida saudável e produtiva depois dos 60 anos, não pense em aposentadoria. Mesmo que você esteja aposentado e receba mensalmente o benefício, se mantenha trabalhando e cuidando bem do seu corpo-mente.

Quando mantemos os sonhos e os planos para o futuro vivos, podemos, sim, manter acesos nossa vitalidade e criatividade. E mesmo que nossos planos não se realizem da forma que gostaríamos, nossa atividade nos mantém pulsantes e podemos continuar fluindo com a vida. Na minha percepção viver é fluir com aquilo que faz nosso coração vibrar.

"Quando vivemos nossa vida como se esse fosse o único e o último momento, vivendo além da mente e além da idade, nossa vida se transforma num desfrute a cada momento."

Uma outra excelente ferramenta que pode nos ajudar a viver ‘além da idade’ é a meditação. A meditação tem a capacidade de manter limpo e fluido o nosso sistema corpo-mente-espírito. Através do processo da auto-observação podemos sair do aprisionamento da mente. Isso gera espaço para o corpo e as emoções respirarem em equilíbrio, e o espírito agradece, ficando em paz e fluindo em criatividade e amor.

Temos um ditado popular que diz que “a idade não está no corpo, está na mente” e isso parece ser bem verdadeiro. Quando vivemos nossa vida como se esse fosse o único e o último momento, vivendo além da mente e além da idade, nossa vida se transforma num desfrute a cada momento.

Como diz o meu Mestre Osho: “A vida é um mistério a ser vivido, não um problema a ser resolvido”.

Então, bem-vindos à Geração ‘Ageless’, prepare suas ferramentas e vamos celebrar juntos esse mistério.

Namastê!

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais