Logo O POVO Mais
Foto de Guilherme Ashara
clique para exibir bio do colunista

Psicoterapeuta sistêmico com especialização em Psicologia Transpessoal e Psicoterapia Somática Integrada. Viveu na Índia onde se aprofundou em diversas abordagens terapêuticas e de meditação. Fez cursos e supervisão em Constelação Familiar com Bert e Sophie Hellinger e foi o introdutor da Constelação no Ceará; Ashara atende individualmente e ministra cursos de formação em Constelação em diversas cidades do Brasil. Veja mais: www.ashara.com.br

Guilherme Ashara comportamento

Você se acha digno(a) de receber?

O importante é que no momento em que nascemos, somos merecedores de toda a abundância do universo
Tipo Análise
Sentir-se digno abre a possibilidade receber da vida tudo o que ela tem de bom  (Foto: Noah Solliman)
Foto: Noah Solliman Sentir-se digno abre a possibilidade receber da vida tudo o que ela tem de bom

Clara(*) chegou ao meu consultório virtual através de uma ‘live’ que dei há algum tempo sobre Constelação Familiar. Ela relatou que tinha dificuldades no trato com sua família em geral. Quando a coloquei diante do marido, Clara percebeu que o marido não a via. Coloquei-a diante da mãe, e a mãe também não a reconhecia. (**)

Logo nos primeiros movimentos da Constelação, ficou evidenciado que os familiares não a viam porque Clara não via a si mesma. Ela buscava reconhecimento e aprovação nas relações mais próximas, mas já com seus 40 anos percebeu que nunca tinha sucesso em receber o amor e a atenção que desejava; e sempre era vista com desprezo e se sentia frustrada com isso.

Foi somente quando coloquei a imagem da sua criança interior que Clara finalmente sorriu aliviada e pode reconhecer e acolher a sua própria criança. Ela ficou maravilhada com a descoberta da sua criança emocional.

Em uma outra consulta Clara declarou o quanto foi humilhada pela sua mãe na infância. Sua mãe reprimia, podava continuamente as suas ações, como também a comparava negativamente com as irmãs.

Será que vale a pena viver rodeado de pessoas que não lhe veem, que veem através de você? Ou que só olham pra você para lhe criticar? Existe um profundo condicionamento dentro de nós que diz que não merecemos, não somos dignos, não temos o direito de receber.

Relacionado a isso, um amigo me enviou essa semana um lindo texto de Jamila White , que traz uma compreensão que venho mostrando nos meus artigos, que é a de que no momento em que você reconhece e acolhe a sua dor, sua ferida, seu trauma, você começa a ser curado.

E ela complementa com as seguintes afirmações:

“Você é digno de ter apoio.

Você é digno de ter uma parceria verdadeira.

Você é digno de amor.

Você é digno de ter seu coração apoiado.

Você é digno de ser adorado.

Você é digno de ser amado.

Você é digno de alguém dizer: “relaxe, eu seguro isso por você.” E realmente cumprir essa promessa.

Você é digno de receber.

Você é digno.”

“Você não precisa merecê-lo.

Você não tem que provar nada.

Você não tem que negociar por isso.

Você não tem que implorar por isso.”

“Você é digno.

Valioso.

Simplesmente porque você existe.”

Quando ouço essas afirmações, meu coração se expande, porque entro em sintonia com uma verdade mais profunda. E tudo isso contrasta com nosso sistema de crenças de que não merecemos, temos que sofrer, não temos o direito à felicidade, ao amor, à abundância.

Sim, Clara está trilhando esse caminho e descobrindo que é digna, é merecedora e que não tem que provar nada a ninguém.

Você pode chamar essa fonte criativa de Deus, de Existência, de natureza, de vida… não importa. O importante é que no momento em que nascemos somos merecedores de toda a abundância do universo.

Somos dignos de receber.

Somos simplesmente dignos.

Namastê!

(*) Criei uma persona fictícia com o nome de Clara a partir de experiências reais dos meus atendimentos.
(**) No atendimento online utilizo peças de madeira para representar a cliente e todo o seu sistema familiar.

Foto do Guilherme Ashara

Ôpa! Tenho mais informações pra você. Acesse minha página e clique no sino para receber notificações.

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"