clique para exibir bio do colunista

Henrique Araújo é jornalista e mestre em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Articulista e cronista do O POVO, escreve às quartas e sextas-feiras no jornal. Foi editor-chefe de Cultura, editor-adjunto de Cidades e editor-adjunto de Política.

HenriqueAraujo • NOTÍCIA

Eduardo Bolsonaro chama Camilo de "ditador" após Guarda Municipal cearense abordar banhistas na praia

Por
EDUARDO Bolsonaro perdeu a disputa pela liderança do PSL na Câmara para o deputado Delegado Waldir
EDUARDO Bolsonaro perdeu a disputa pela liderança do PSL na Câmara para o deputado Delegado Waldir

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) criticou o governador Camilo Santana (PT) pelas redes sociais nesta sexta-feira após agentes da Guarda Municipal de Fortaleza abordarem banhistas na Praia de Iracema, na capital cearense.

Segundo os decretos em vigor no Estado, é vedada qualquer aglomeração em espaços públicos da cidade, a exemplo de praias, praças e outros locais, salvo quando em deslocamento para desempenhar atividade essencial.

O desrespeito às medidas pode acarretar multa e eventualmente detenção por descumprimento de artigo previsto no Código de Processo Penal.

Os documentos, editados no dia 8 deste mês e renovados nesta semana, têm validade até o dia 31 de maio.

Filho do presidente Jair Bolsonaro, que tem pressionado gestores a flexibilizarem medidas de contenção da pandemia, o parlamentar chamou o petista de “governador ditador do Ceará” que “proíbe senhoras de irem às praias”.

No vídeo, os agentes pedem a dois banhistas que apresentem documentos. Presente, uma mulher alega “pagar caro” para morar ali perto e que tem direito de estar na praia.

“Se você não reagir, já governadores socialistas, como Camilo Santana do Ceará, estarão fazendo ainda pior. E não espere ajuda de instituições e pessoas que você já sabe que estão se lixando para você”, acrescentou Eduardo Bolsonaro.

Na última terça-feira, a Polícia Militar do Ceará autuo 25 pessoas que realizavam carreata pelos bairros de Fortaleza contra o isolamento social.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social, elas “assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por infringirem medida sanitária preventiva prevista no artigo 268 do Código Penal”.

Em nota, a pasta afirmou que “a pena para quem comete esse tipo de infração penal é de detenção, de um mês a um ano, e multa”. 

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais