Jocélio Leal
clique para exibir bio do colunista

Colunista e editor-chefe dos núcleos de Economia e Negócios do O POVO. Também é âncora da rádio O POVO-CBN e apresenta flashes na rádio CBN Cariri. É o editor-geral do Anuário do Ceará e do Guia de Investimentos de São Paulo

NOTÍCIA

Test Drive: Nissan Frontier de Fortaleza ao Icaraizinho

Em terra de Hilux, a Nissan Frontier merece respeito. A picape trazida da Argentina, assim como a rival da Toyota, tem atributos que justificam o porquê da sua relevância. Tanto na estética como no pacote de recursos a bordo
Levamos ao Icaraizinho a versão LE AT 4x4: seis Air bags (frontais para o motorista e passageiro, laterais e de cortina) por R$ 240,790 mil
Levamos ao Icaraizinho a versão LE AT 4x4: seis Air bags (frontais para o motorista e passageiro, laterais e de cortina) por R$ 240,790 mil

Fortaleza - Em terra de Hilux, a Nissan Frontier merece respeito. A picape trazida da Argentina, assim como a rival da Toyota, tem atributos que justificam o porquê da sua relevância. Tanto na estética como no pacote de recursos a bordo. Importante: o teste foi feito antes do isolamento rígido decretado pelo Governo do Ceará.

Para testá-la, a levamos para a estrada. Algo como 190 km entre Fortaleza e o distrito de Icaraizinho de Amontada, no Litoral Oeste do Ceará. Percurso de asfalto, em pista a maior parte em mão única. Foi o melhor momento de guiá-la, porque picape em uso urbano não faz lá tanto sentido assim, com vagas e garagens apertadas. E no Icaraizinho, apenas para ir a Moitas, a praia seguinte. Na praia, melhor andar a pé.

A picape oferece tecnologias importantes no segmento, como o sistema de câmeras 360º, teto solar e bancos "Gravidade Zero". No dizer da Nissan, inspirados na tecnologia desenvolvida pela Nasa para eliminar a fadiga e melhorar o conforto para o condutor.

Em tempo: a Nissan havia escolhido o litoral de Trairi, também no lado Oeste da Costa cearense, para fazer o quarto lançamento regional da 12ª geração da Nissan Frontier. A picape passava a ser trazida da Argentina (a fábrica de Córdoba produz desde o fim de 2018), não mais do México. Lembre clicando aqui

O porte dela pede potência. E isso ela tem. O motor é o 2.3 turbodiesel, com opções de uma ou duas turbinas, que faz a potência variar conforme a configuração adotada (160 cv ou 190 cv). No caso do O POVO, o teste foi a topo de linha, a LE AT 4x4, indo a 190 cv e 3.750 rpm.

Ao volante é marcante o torque. Entrega força farta para terrenos mais ariscos. No Test Drive, seguimos por trilhas de areia fofa com tranquilidade. Não, não rodamos na beira da praia. A força do modelo é capaz de puxar até 2,9 toneladas de reboque, diz a fabricante. Usamos o câmbio automático e não fomos ao limite da capacidade de carga, de prometidos 1.031 quilos.

A Nissan Frontier vem com suspensão traseira de sistema multilink. Trabalha em conjunto com um eixo rígido. Isto é a explicação da japonesa para o conforto, um dos trunfos do modelo em segmento cujo desafio é conciliar robustez com delicadeza a bordo.

Segundo a descrição da Nissan, as molas helicoidais de duplo estágio receberam calibração que permite a adoção de rodas aro 18 calçadas em pneus Bridgestone (para as versões XE e LE, a nossa). Já na dianteira, a suspensão tem braço duplo assistido por barra estabilizadora.

A promessa é melhorar a performance dinâmica e dar mais estabilidade e respostas mais rápidas na direção. Na prática, quando exigida em algumas situações urbanas e na rodovia, transmitiu confiança.

A parte mecânica é quase tudo numa picape. Faz tempo que deixou de ser tudo. Os recursos de tecnologia, tanto na segurança como no entretenimento entram na análise de quem vai comprar. O sistema multimídia A-IVI com tela de oito polegadas, com função Apple Carplay e Android Auto estão lá.

Possui sistema Isofix (para fixação da cadeirinha de criança). Ao todo são seis airbags, controles de tração e estabilidade (VDC - Vehicle Dinamic Control); freios ABS com controle eletrônico de frenagem (EBD) e assistência de frenagem (BA); controles automáticos de descida (HDC) e auxílio de partida em rampa (HSA), luz de freio de LED (CHMSL), luzes diurnas (DRL), entre outros equipamentos.

Espaço no banco traseiro não tem tanto assim, pela altura do piso. A saída de ar condicionado, porém, melhorou a vida por lá. O acabamento é caprichado sim. Os bancos são revestidos em couro, mesmo material a envolver o volante, painéis de porta e descanso de braço.

A tampa da caçamba, porém, é o traço vintage que destoa. É muito pesado levantá-la. Faz tempo que a Ford Ranger, por exemplo, já usa sistema que torna levinho levinho mover a tampa.

Quando fevereiro chegou

A Nissan Frontier obteve em fevereiro (a estatística mais recente)amaior participação de mercado no País desde a chegada da sua 12º geração, em março de 2017. No mês passado, o modelo conquistou 11,9% de participação no segmento de picapes médias, superando o recorde anterior, de julho de 2020, quando atingiu 10,1%.

Foram 844 unidades vendidas em fevereiro. Este total consolida-se também como o melhor resultado da Nissan Frontier no Brasil nos últimos oito anos. Na classificação nacional do segmento, a picape da Nissan ficou na quarta colocação.

Ganhou como consolação a liderança em cidades como Rio de Janeiro, Campinas (SP), Ribeirão Preto (SP), Campina Grande (PB), Pelotas (RS), Cascavel (PR), Uberaba (MG) e Criciúma (SC), entre outras.

A picape também foi festejada como a mais vendida em São Paulo., com participação de 24,5%. O utilitário da Nissan ainda liderou as vendas do segmento em Vitória (32,6%), Maringá (32,3%) e Jundiaí (23,3%).

QUANTO CUSTA

A sexta picape média mais vendida do Brasil em 2020, com 8.077 unidades, é oferecida em quatro versões:

S MT 4X4 (R$ 177,790)

Attack AT 4X4 (R$ 200,990)

XE AT 4X4 (R$ 216,990)

LE AT 4X4 (R$ 240,790).

ANOTAÇÕES

- Toda a gama da atual geração da picape, lançada em 2017, é equipada com o mesmo motor 2.3 diesel, mas com diferenças de potência.

- A versão de entrada tem 160 cv e 41 kgfm por ter apenas um turbo de geometria variável, enquanto as outras, que são biturbo, entregam 190 cv e 45,9 kgfm.

ONDE COMPRAR

Fort Nissan
Avenida Santos Dumont 7580

(85)3307-7600

Nissan Jangada

Avenida Washington Soares 2055

85 33916000

Avenida Júlio Ventura, 200

85 33068686

 Ficha Técnica

LE AT 4X4

Combustível: Diesel

Cilindrada: 2298 cm³

Quantidade de cilindros: 4

Potência máxima: 190 cv @3.750 rpm

Quantidade de válvulas: 16

Transmissão: automática de 7 marchas com função manual sequencial

Torque máximo: 45,9 kgfm @ 1.500 ~2.500 rpm

Capacidade do tanque de combustível: 80 litros

Capacidade de carga: 1.000 kg

Comprimento: 5.264 mm

Largura: 1.850 mm

Altura: 1.860 mm

Bitola: 1.570 mm

Distância entre-eixos: 3.150 mm

Comprimento máximo da caçamba: 1.509 mm

Largura máxima da caçamba: 1.560 mm

Altura máxima da caçamba: 473 mm

Ângulo de ataque: 30,6°

Ângulo de saída (com para-choque): 27,7°

Ângulo de inclinação máxima em subida: 23,5°

Altura do solo: 241 mm

Rodas: Liga leve 18" de alumínio

Pneu: 255/60R18 - Liga de aluminio 18"

Estepe: 255/60R18 - Liga de aluminio 18"

Dianteiro: Disco frontal tipo com ABS (Anti-brake system) e EBD (Electronic brake distribution).

Traseiro: Tambor com ABS (Anti-brake system) e EBD (Electronic brake distribution).

Suspensão dianteira: Double-wishbone

Suspensão traseira: Multilink com molas helicoidais

Sistema de direção: Hidráulica

Modelo é trazido da Argentina: ao fundo, aerogeradores no Icaraizinho de Amontada
Modelo é trazido da Argentina: ao fundo, aerogeradores no Icaraizinho de Amontada (Foto: JOCÉLIO LEAL)

A tampa traseira ainda é pesada, enquanto a concorrência já resolveu esse desconforto
A tampa traseira ainda é pesada, enquanto a concorrência já resolveu esse desconforto (Foto: JOCÉLIO LEAL)

Clique na imagem para abrir a galeria
Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais