Foto de Jocélio Leal
clique para exibir bio do colunista

Redator do blog e coluna homônimos, diretor de Jornalismo da Rádio O POVO/CBN e CBN Cariri, âncora do programa O POVO no Rádio e editor-geral do Anuário do Ceará

UFC reage a documento da Secultfor e ataca secretário

Documento assinado pelo secretário da Cultura do Município, Elpídio Nogueira, se dirige ao reitor da UFC, Cândido Albuquerque, como interventor e causa reação na cúpula da instituição. O vice-reitor, Glauco Lobo, e todos os sete pró-reitores da Universidade Federal do Ceará (UFC) assinam um documento contundente no qual repudiam o secretário e cobram providências
Cândido Albuquerque, reitor da UFC (Foto: Deísa Garcêz/Especial para O Povo)
Foto: Deísa Garcêz/Especial para O Povo Cândido Albuquerque, reitor da UFC

Fortaleza - O vice-reitor, Glauco Lobo, e todos os sete pró-reitores da Universidade Federal do Ceará (UFC) assinam um documento endereçado ao secretário da Cultura do Município, Elpídio Nogueira, no qual repudiam o secretário e cobram providências. Elpídio assinara documento entregue à UFC no dia 28 de outubro no qual Cândido é chamado de interventor.

Diz o texto que diante da dimensão do constrangimento gerado a Cândido Albuquerque e à comunidade acadêmica a Universidade lamenta a superficialidade com que foi tratado o tema pela referida secretaria e pelo próprio município.

Chama de descaso e aponta situação desconfortável para as duas instituições. O texto da UFC fala em  "aparelhamento ideológico da estrutura organizacional da Secretaria de Cultura do Município de Fortaleza". O documento da Universidade diz que a Pasta da Cultura há anos é dominada por uma organização partidária radical. Esta organização seria o PC do B, partido do secretário-executivo, Evaldo Lima.

O texto cobra respeito e compostura e ataca Elpídio por ser irmão do prefeito Sarto Nogueira (PDT). "A esta altura, perguntamo-nos como é possível que permaneça na função o secretário, cuja investidura no cargo é inevitavelmente questionada pelos ares de nepotismo, após permitir sob sua tutela ato ofensivo desta natureza, que desrespeita não só ao dirigente máximo da UFC, mas a todos os reitores do Estado do Ceará".

Antes, irritado, Cândido Albuquerque havia feito postagem no Twitter:  “Fico puto não! É triste uma turma de incompetentes ocuparem cargos por parentesco e um partido político dominar uma secretaria como trampolim político! Cultura é coisa séria! A UFC só cresceu nos últimos dois anos. Estou trabalhando e fazendo a minha obrigação!”.

Eleição foi legítima

Cândido enfrenta resistências de grupos na Universidade por não ter sido o mais votado na consulta à comunidade universitária. De todo modo, a consulta não tem valor para a nomeação. Ele integrou a lista tríplice enviada pelo Conselho Universitário (Consuni) ao Ministério da Educação (MEC). O MEC define um dos nomes da lista. Assim, a acusação de que ele seria interventor não tem fundamento. A mesma resistência fora enfrentada pelo ex-reitor Antonio Albuquerque de Sousa Filho (1991-1995). 

Em votação secreta e uninominal, 47 conselheiros votaram no certame, que definiu os nomes de Custódio Almeida, Cândido Albuquerque e Maria Elias Soares, em ordem decrescente de votos, para a lista tríplice. A nomeação do reitor é prerrogativa do presidente da República, que o escolheu.

Leia abaixo a íntegra da nota da UFC

Senhor Secretário,

1. Diante da dimensão do constrangimento gerado à pessoa do reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Prof. Cândido Albuquerque, e à própria comunidade acadêmica da Instituição, pelo ofício indecoroso assinado pelo titular da Secretaria de Cultura de Fortaleza (SECULTFOR), a Universidade lamenta a superficialidade com que foi tratado o tema pela referida secretaria e pelo próprio município.

2. O descaso, que culmina numa situação extremamente desconfortável para as duas instituições parceiras de longa data, apenas atesta o aparelhamento ideológico da estrutura organizacional da Secretaria de Cultura do Município de Fortaleza, há anos dominada por uma organização partidária radical (pardo político), a qual, ao tempo em que instrumentaliza o serviço público distribuindo cargos a apadrinhados, ignora o respeito e a compostura na lida com seus interlocutores. A pergunta que ecoa em nossa comunidade e na sociedade é: os fatos serão esclarecidos convenientemente, com a identificação e devida sanção dos responsáveis, ou serão minimizados?

3. A esta altura, perguntamo-nos como é possível que permaneça na função o secretário, cuja investidura no cargo é inevitavelmente questionada pelos ares de nepotismo, após permitir sob sua tutela ato ofensivo desta natureza, que desrespeita não só ao dirigente máximo da UFC, mas a todos os reitores do Estado do Ceará.

4. A Universidade Federal do Ceará confia na lisura da Prefeitura de Fortaleza e deseja crer que sua postura, nos momentos que se seguem, será reveladora da seriedade com que o poder público municipal trata erros institucionais gravíssimos como o relatado.


Prof. José Glauco Lobo Filho
Vice-Reitor da Universidade Federal do Ceará


Profª Geovana Maria Cartaxo de Arruda Freire
Pró-Reitora de Assuntos Estudantis


Profª Elizabeth De Francesco Daher
Pró-Reitora de Extensão


Prof. Marcus Vinícius Veras Machado
Pró-Reitor de Gestão de Pessoas


Profª Ana Paula de Medeiros Ribeiro
Pró-Reitoria de Graduação


Profº Francisco Rodrigo Porto Cavalcante
Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação


Prof. Augusto Teixeira de Albuquerque
Pró-Reitor de Relações Internacionais e Desenvolvimento Institucional


Prof. Almir Bittencourt da Silva

Pró-Reitor de Planejamento e Administração

 

Ofício é assinado pelo vice-reitor Glauco Lobo e por todos os pro-reitores da UFC
Ofício é assinado pelo vice-reitor Glauco Lobo e por todos os pro-reitores da UFC (Foto: REPRODUÇÃO)

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais