clique para exibir bio do colunista

Colunista e editor-chefe dos núcleos de Economia e Negócios do O POVO. Também é âncora da rádio O POVO-CBN e apresenta flashes na rádio CBN Cariri e em breve na rádio CBN Teresina. É o editor-geral do Anuário do Ceará e do Guia de Investimentos de São Paulo

JocelioLeal • Opinião

Covid-19: construção no primeiro bonde

Por

O presidente do Sindicato das Construtoras (Sinduscon-CE), Patriolino Dias, experimentou a viralização de uma mensagem no Whatsapp. Um texto enviado por ele a filiados circulou ao longo do dia espalhando esperança e ansiedade no setor. Mas, Patrol, como é chamado pelos amigos, tratou de ponderar: não tem certeza de que voltam a trabalhar em uma semana, até porque o Estado já avisou que só afrouxa as regras se caírem os óbitos. A única expectativa que ele tem é por ver o setor na primeira leva de atividades liberadas, quando liberações houver.

Dizia a mensagem: "Nesse exato momento estou participando de uma reunião on line com o comitê estratégico criado pelo Governo do Estado. Trago uma boa notícia. O comitê apresentou um panorama, onde a construção civil está inserida dentre as atividades com risco mais baixo. Diante disso, pedi a palavra e indaguei objetivamente ao Secretário Élcio Batista (Casa Civil) se poderemos voltar após o dia 20 (quando expira o decreto estadual de isolamento rígido em vigor). O Secretário disse que não pode precisar se a data do retorno será imediatamente após o dia 20, mas reiterou que a construção civil estará contemplada na lista de prioridades das atividades a serem liberadas".

E ainda: "O ponto positivo é que o Secretário assegurou que toda a cadeia de atividades que compõem o processo construtivo (material de construção, etc.) estará inserida na liberação. A ideia é liberar inicialmente 40% do setor para, num segundo momento, liberar em sua totalidade. Tomei a palavra mais uma vez para esclarecer se a corretagem imobiliária estará inserida nessa liberação, ao passo que o Secretário foi enfático ao assegurar que SIM, por entender que a corretagem faz parte da cadeia do setor. Cremos que os entendimentos estão avançando para um retorno próximo. Continuaremos atualizando os encaminhamentos. Abraços, Patriolino"

Os donos de construtoras do Ceará são um dos segmentos mais proativos na defesa do retorno. Tiveram altos e baixos nesta tentativa. Em dado momento, julgavam estar bem perto do aval. Não estavam. Em uma live com o secretário da Saúde, Dr Cabeto, andaram algumas casas, mas para trás. Talvez tenham errado na mão. Um grupo técnico que juntaria Estado e Sinduscon acabou nem sendo formado. O Estado desmarcou. A conversa segue em nível de lideranças, como Patriolino.

Nesta construção do retorno, o setor ganha terreno porque apresenta argumentos técnicos, e não panfletários, como boa parte da fauna empresarial brasileira. Os empresários da construção alegam que os empregados seguirão rigoroso protocolo de segurança nos canteiros. Ademais, dentre outras promessas, listam a oferta de ônibus para pegar e levar os operários para casa.

Em se tratando de Minha Casa Minha Vida, pelas contas do Sinduscon, em 90 dias de trabalho, já seria possível concluir e entregar 6,3 mil unidades (uma por família) no Ceará na faixa 1, a mais modesta. Seriam menos pessoas em situação de risco.

Terra do Sol entrega caranguejo e outros mariscos em domicílio: a barraca garante que embalagem não vaza
Foto: DIVULGAÇÃO
Terra do Sol entrega caranguejo e outros mariscos em domicílio: a barraca garante que embalagem não vaza

TERRA DO SOL

Caranguejo vai em casa

A barraca Terra do Sol, uma das principais da Praia do Futuro, e prestes a completar 28 anos, decidiu investir nas entregas em domicílio. No começo da crise da pandemia tinha até ensaiado, mas preferiu não. Desta vez, porém, se estruturou para levar boa parte do seu cardápio original até a casa dos clientes. Na estrutura, entram as embalagens herméticas. Na boa parte, estão os caranguejos, os campeões de vendas ao lado dos peixes. Ivan Assunção, sócio-gerente da casa, diz que as entregas são feitas por um time próprio, formado por gente que já trabalhava na casa. São funcionários que têm motos. "Por serem já do time, podemos garantir um padrão nosso de higiene da equipe, das bolsas e das motos", diz Ivan. O plano era entregar a até 10 km da Praia do Futuro, mas o raio vai além. Já chegou até ao Eusébio. Entregam das 10 às 16 horas, mas às quintas-feiras (sabe como é), o serviço vai até 18 horas.

GALEÃO-CUMBICA

Air France e KLM no Rio e em São Paulo

O Grupo Air France-KLM anunciou que a KLM estará de volta ao Rio de Janeiro, a partir de segunda-feira (18), com dois voos por semana partindo de GIG (Galeão). Também haverá um terceiro voo semanal partindo de GRU (Guarulhos). A Air France continua operando um voo por semana partindo de GIG e três semanais partindo de GRU. Com o aumento, a Air France-KLM irá operar três voos semanais entre o Rio de Janeiro e a Europa e seis voos semanais entre São Paulo e Europa. Fortaleza, por enquanto, nada.

Horizontais

Pinheiro - O Banco Pine teve um prejuízo de R$ 2 milhões no primeiro trimestre do ano. Foi ruim, mas o Banco lembra que representa uma recuperação financeira de 94,4% na comparação com o primeiro tri de 2019 e de 90,4% ante o quatro tri do ano passado.

Volks - A fábrica da Volkswagen em São José dos Pinhais (PR) volta ao trabalho dia 18 (segunda-feira).

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais