Foto de Lucas Mota
clique para exibir bio do colunista

Lucas Mota é repórter de Esportes de O POVO. Estudou jornalismo na Universidade 7 de Setembro e na Universidad de Málaga (UMA). Ganhou o Prêmio CDL de Comunicação na categoria Webjornalismo e o Prêmio Gandhi de Comunicação na categoria Jornalismo Impresso, e ficou em 2º lugar no Prêmio Nacional de Jornalismo Rui Bianchi

Lucas Mota esportes

Detalhes sobre Depietri: contrato longo com o Fortaleza e "não" para Europa e EUA

Coluna traz detalhes sobre a transação e o jogador, como o tempo de contrato, a escolha pelo Leão em meio a outras ofertas, as características de jogo e curiosidades
Valentín Depietri tem apenas 20 anos e assinará contrato com o Fortaleza por três temporadas (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação Valentín Depietri tem apenas 20 anos e assinará contrato com o Fortaleza por três temporadas

O argentino Valentín Depietri, 20 anos, vestirá a camisa do Fortaleza na sequência da temporada de 2021. Desconhecido no Brasil, o atacante jogará pela primeira vez fora do seu país e é a aposta da diretoria tricolor, que já monitorava o atleta desde quando Enderson Moreira estava no comando, para o setor ofensivo. Abaixo narro detalhes sobre a transação e o jogador, como o tempo de contrato, a escolha pelo Leão em meio a outras ofertas, as características de jogo e curiosidades.

O jovem atleta assinará contrato de três anos com o Fortaleza. A informação foi divulgada inicialmente pelo jornalista Venê Casagrande, do O Dia, e confirmada pela coluna. Revelado pelo Santamarina, clube da segunda divisão da Argentina, Depietri encerra vínculo com a equipe em 30 de junho. Desta forma, o Tricolor do Pici não precisará efetuar uma compensação financeira para liberação do jogador.

O acerto com o atacante deve ser oficializado em breve pelo Fortaleza. O clube cearense só poderá regularizar o atleta a partir do dia 1º de agosto, quando a janela de transferências internacionais será aberta.

Por enquanto não há data para a chegada do argentino ao clube do Pici. Em meio à variante Delta, que teve origem na Índia, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, fechou as fronteiras do país na última segunda-feira, 28, até o próximo dia 9 de julho.

O staff do jogador monitora o cenário para viabilizar a entrada de Depietri no Brasil. "Esperamos que ele possa viajar o mais breve possível, já que a Argentina cancelou os voos para o Brasil", disse Gustavo Chezzi, agente do atleta.

Com 20 anos, Depietri está no segundo ano como jogador profissional. Cria da base do Santamarina, o atleta disputou a primeira partida no time principal em agosto de 2019. De lá pra cá, o atacante somou 30 jogos e marcou cinco gols.

Depietri chegará ao Tricolor para ser opção de velocidade no ataque. Juan Casero, jornalista argentino da Rádio La Compañía e do portal Tandilya, acompanhou o início da carreira do atacante e o definiu da seguinte forma à coluna: "muito veloz e desequilibrante. Ele tem um bom manejo com a bola e se aproveita da velocidade no espaço reduzido. Se encontra zagueiros lentos, ele leva vantagem".

"Não" para Europa e Estados Unidos

A transação de Valentín Depietri para o Fortaleza surpreendeu a imprensa local de Tandil, província de Buenos Aires, onde está localizado o Santamarina. Desde que surgiu na equipe profissional, ele tem sido alvo no mercado da bola. O atleta recebeu propostas de clubes da Áustria e dos Estados Unidos na temporada passada, mas rejeitou todas. O atacante tinha a oportunidade ainda de permanecer na Argentina e se transferir para um time da primeira divisão, porém preferiu apostar no Leão.

"É um jogador de personalidade. Não quis ir (para o futebol dos Estados Unidos e da Áustria) porque queria mais um ano (no Santamarina). Agora decidiu ir ao Brasil. Teve a oportunidade de seguir na Argentina, na primeira divisão, mas não gosta da pressão midiática no futebol argentino. No Brasil, ele vai jogar mais tranquilo", explicou Juan Casero.

"Ele demonstrou potencial importante. Vamos ver se ele se adapta ao Brasil. Caso consiga, pode ser importante (no Fortaleza). É um jogador interessante. Aqui nós pensávamos que ele iria para a Europa ou Estados Unidos", completou Juan.

Treinado pelo pai e neto de presidente de clube

Os primeiros passos dados por Valentín Depietri no futebol foram sob o comando do próprio pai. Antes de ingressar na base do Santamarina, o argentino jogou na infância e na adolescência na Unicen (Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires), sendo treinado por Guillermo Depietri, ex-jogador do Santamarina.

A ligação familiar do jogador com o esporte não se restringe apenas ao pai. Vem desde o avô, Guillermo "Memo" Depietri, que fez história como presidente do Santamarina na década de 1980. Com o dirigente, o clube ganhou o Regional e disputou a Primeira Divisão, feito histórico para a equipe.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais