Foto de Marcelo Romano
clique para exibir bio do colunista

Jornalista especializado em esportes olímpicos. Trabalhos na TV Record, Yahoo, rádios Gazeta e Eldorado em São Paulo

Brasil tem o dia com mais medalhas em Tóquio

Foram 4: ouro com Martine Grael/Kahena Kunze na vela, bronzes no atletismo com Thiago Braz e Alison dos Santos e bronze no boxe com Abner Teixeira
Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram a medalha de ouro na vela (Foto: Olivier MORIN / AFP)
Foto: Olivier MORIN / AFP Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram a medalha de ouro na vela

A terça-feira foi o dia de mais conquistas de medalhas do Brasil até agora em Tóquio. Foram 4: ouro com Martine Grael/Kahena Kunze na vela, bronzes no atletismo com Thiago Braz e Alison dos Santos e bronze no boxe com Abner Teixeira.

O Brasil soma 3 ouros, 3 pratas e 8 bronzes. E tem mais 3 medalhas garantidas faltando definir a cor : futebol masculino, Bia Ferreira e Hebert Conceição no boxe.

A principal conquista veio na vela com a dupla agora bicampeã olímpica. Martine Grael e Kahena Kunze terminaram em 3º lugar na regata final da classe 49er, resultado suficiente para garantir o ouro. As brasileiras adotaram uma estratégia perfeita no início da regata, assumindo logo as primeiras colocações e ficando a frente da dupla holandesa, que estava empatada na classificação geral e poderia disputar o ouro.

A campanha de Martine e Kahena começou com um resultado ruim na 1º regata, 15º lugar. Esse resultado pela regra da competição, pode ser descartado. A partir de então, as brasileiras foram bem regulares. Venceram duas das 13 regatas e evoluíram na classificação geral a cada prova, até confirmarem o ouro na última, com pontuação dobrada. Martine e Kahena se juntam as jogadoras de vôlei feminino Fabi, Fabiana, Jaqueline, Paula Pequeno, Thaísa e Sheila, na lista de bicampeãs olímpicas brasileiras.

Vamos ao resumo das demais modalidades:

Atletismo - O Brasil obteve duas medalhas de bronze em um intervalo de 9 horas. Alison dos Santos confirmou as expectativas e conseguiu a medalha nos 400 metros com barreiras. Só ficou atrás dos 2 favoritos: o norueguês bicampeão mundial Karsten Warholm (bateu o recorde mundial ) e o americano Rai Benjamin. A agradável surpresa foi a repetição da medalha olímpica de Thiago Braz no salto em altura. Ele tinha feito um ciclo olímpico muito ruim. Mas saltou na final olímpica 5m87, fato que só tinha ocorrido duas vezes em 5 anos, e assegurou o bronze. O sueco Duplantis confirmou o favoritismo com o ouro.

Futebol - seleção masculina vai buscar o bicampeonato olímpico no sábado. Empatou em 0 a 0 com o México, mas venceu nos penais, sem errar nenhuma das 4 batidas. O adversário será a Espanha.

Vôlei - a seleção masculina teve uma vitória tranquila nas quartas de finais contra o Japão por 3 sets a 0. Os japoneses só ameaçaram no 2º set, quando abriram 5 pontos de vantagem. Na semifinal um adversário duríssimo: a Rússia que superou o Canadá. Na fase de classificação, os russos venceram por 3 a 0. A surpresa foi a eliminação da Itália para a Argentina por 3 sets a 2.

Hipismo - Yuri Mansur zerou o percurso e se garantiu na final da prova de saltos nesta quarta-feira com outros 30 atletas. Já o principal cavaleiro brasileiro, Marlon Zanotelli, cometeu uma falta e ficou fora.

Vôlei de praia - O Brasil ficou com apenas uma dupla no torneio olímpico. Caberá a Alison e Alvaro evitar que pela 1ª vez em Olimpíadas, o Brasil fique sem medalha na modalidade.

Na noite da segunda-feira, Ana Patricia e Rebeca foram eliminadas pelas suíças Verge Depre e Heidiich. O placar foi de 2 sets a 1.

Canoagem velocidade - Isaquias Queiroz finalizou sem medalha, a 1º de duas provas em Tóquio. Ao lado de Jack Goodman, foi o 4º colocado no C2 1000 metros. Desde a primeira eliminatória, os brasileiros não conseguiram acompanhar o ritmo de China, Cuba e Alemanha. Os cubanos Sergey Torres e Jorge Enriquez ficaram com o ouro, superando os favoritos alemães. A dupla cubana vinha de 3 vice campeonatos em mundiais de 2017 a 2019.

Boxe - O Brasil garantiu mais uma medalha no boxe nesta manhã de terça-feira com Bia Ferreira nos 60kg. Ela venceu Raykhona Kodirova do Uzbequistão por decisão unanime dos 5 árbitros e avançou as semifinais Bia vai pegar a finlandesa Mira Potkonen. Ela perdeu duas vezes para a adversária na carreira, mas em fevereiro venceu no torneio Stranja na Bulgária. No masculino duas derrotas já esperadas para cubanos: Wanderson Oliveira perdeu nas quartas de finais dos 63kg para Andy Cruz bicampeão mundial por 4 a 1. Wanderson termina sem medalha. Já nos 91kg, Abner Teixeira caiu diante de Julio La Cruz, que também tem um currículo absurdo: campeão olímpico e 4 vezes campeão mundial. Como a luta era pela semifinal, Abner garantiu bronze.

Ginástica artística - a última participação brasileira em Tóquio foi com Flavia Saraiva na final da trave. Ela sofreu um desequilíbrio na apresentação e terminou na 7º posição. Ouro e prata para a China com Chenchen Guan e Xiijing Tang. A estrela americana Simone Biles competiu nesta prova e terminou com o bronze.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais