Foto de Marcelo Romano
clique para exibir bio do colunista

Jornalista especializado em esportes olímpicos. Trabalhos na TV Record, Yahoo, rádios Gazeta e Eldorado em São Paulo

No 13º dia olímpico, nova medalha do skate e a dolorosa derrota do vôlei masculino

Na modalidade park do skate, Brasil conquistou a medalha de prata com Pedro Barros.
Brasileiro Pedro Barros conquistou a medalha de prata no skate park em Tóquio 2020 (Foto: Lionel BONAVENTURE / AFP)
Foto: Lionel BONAVENTURE / AFP Brasileiro Pedro Barros conquistou a medalha de prata no skate park em Tóquio 2020

E o skate brasileiro conseguiu sua 3º medalha na Olimpíada de Tóquio. Na prova de park masculina, Pedro Barros ficou com a medalha de prata. Pedro tem 26 anos e é um dos atletas com mais conquistas na modalidade. Foi campeão mundial em 2018, prata em 2017. Medalhista em praticamente todas etapas do circuito mundial.

Atleta muito experiente, conseguiu na final uma ótima nota de 86,14 logo na 1º volta, colocando pressão nos adversários. Só foi superado pelo australiano Keagan Palmer, que não estava entre os favoritos, mas fez uma volta espetacular, conseguindo 95,83. Os 2 principais favoritos dos EUA, Heimana Reynolds campeão mundial de 2019 e Zion Wright, vencedor do Dew Tour 2021, foram muito mal nas eliminatórias e não se classificaram entre os 8 melhores.

Além de Pedro Barros, o Brasil teve outros 2 atletas na final. Pedro Quintas foi o 8º colocado. Luiz Francisco, que tinha sido o melhor na fase de classificação, ficou apenas a 1 ponto da medalha de bronze. Ele fechou com nota de 83,14, contra 84,13 do americano Cory Juneau.

Confira a participação brasileira em outros esportes:

Vôlei - O sonho do bicampeonato olímpico da seleção brasileira de vôlei masculino terminou nesta madrugada. Derrota para a Rússia por 3 a 1. Na fase de classificação, a seleção já havia sido derrotada pelos russos. O Brasil venceu o 1º set, perdeu o 2º e no 3º chegou a estar vencendo por 20 a 12 e depois 23 a 19. Numa sequencia de saques, os russos fizeram 24 a 23 e depois fecharam em 26 a 24. No 4º set muito equilíbrio, mas os russos conseguiram uma pequena vantagem no final para fechar em 25 a 23. O Brasil agora vai disputar o bronze contra França ou Argentina. A ultima vez que o Brasil ficou sem medalhas no vôlei masculino foi em 2000.

Atletismo - E mesmo fazendo sua melhor marca do ano, Darlan Romani não conseguiu medalha olímpica no arremesso do peso. Ele acabou na 4º colocação, mesma posição do mundial de 2019. A marca obtida por Darlan Romani em Tóquio foi de 21m88. Antes da pandemia, no ano de 2019, Darlan chegou a arremessar 22m61. No mundial fez 22m53. Mas com a pandemia, além de ter pego Covid e demorado para se recuperar, teve o treinamento prejudicado e participou de poucas competições. Tanto que sua melhor marca nos últimos 2 anos era de 21m56. Na Olimpíada fez 32 centímetros a mais. O ouro da prova ficou com o imbatível americano Ryan Crouser com 23m30, novo recorde olímpico. Na marcha atlética 20km, Caio Bonfim foi 13º. Nos revezamentos 4x100 masculino e feminino, o Brasil não conseguiu vaga nas finais.

Boxe - Brasil garantiu nessa madrugada vagas em duas finais da Olimpíada. Bia Ferreira confirmou o favoritismo e vai decidir a medalha de ouro da categoria 60kg. A brasileira bateu a finlandesa Mira Potkonen por unanimidade dos juízes 5 a 0. Na final olímpica teremos o encontro das duas últimas campeãs mundiais da categoria: Bia Ferreira e a irlandesa Kelle Harrington.

No masculino uma agradável surpresa. Hebert Conceição na categoria 75kg superou o russo Gleb Bakshi, de quem havia perdido na semifinal do mundial 2019. O brasileiro dominou os 2 primeiros rounds e só administrou no 3º. A vitória foi por 4 a 1 na avaliação dos árbitros. Hebert vai enfrentar na decisão o ucraniano Oleksandr Khyzhniak, campeão mundial de 2017 e dos Jogos Europeus 2019.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais