Foto de Neila Fontenele
clique para exibir bio do colunista

Colunista de Economia, Neila Fontenele já foi editora da área e atualmente ancora o programa O POVO Economia da rádio O POVO/CBN e CBN Cariri.

Estagnação e otimismo para 2021

O consumo está estagnado e a renda das famílias, achatada. Mas existem pontos positivos que podem contribuir para um resultado positivo neste segundo semestre, como a vacinação
Tipo Opinião
FORTALEZA, CE, BRASIL, 06-08-2021: Véspera de Dia dos Pais. Movimentação do Shopping Rio Mar Fortaleza, com alta movimentação de familiares indo às compras . (Foto: Fernanda Barros/ Especial para O Povo) (Foto: Fernanda Barros)
Foto: Fernanda Barros FORTALEZA, CE, BRASIL, 06-08-2021: Véspera de Dia dos Pais. Movimentação do Shopping Rio Mar Fortaleza, com alta movimentação de familiares indo às compras . (Foto: Fernanda Barros/ Especial para O Povo)

Está cada vez mais difícil fazer previsões diante de tantas incertezas. Os analistas de mercado que estimavam uma melhora da economia tiveram suas projeções frustradas. Os números apontavam para uma melhora do PIB entre 0,2 e 0,4%, mas a economia brasileira parou no segundo trimestre, que vai de abril a junho, apresentando um resultado negativo de 0,1%.

O consumo está estagnado; a renda das famílias, achatada pela inflação e desemprego. Apesar desse cenário, existem pontos positivos que podem contribuir para um resultado positivo neste segundo semestre, como a vacinação (e a consequente reabertura da economia, com a volta das famílias a shoppings e restaurantes) e o maior consumo de produtos agrícolas e minerais exportados.

Diante disso, alguns bancos refazem as suas contas e preveem uma elevação do PIB em 4,9% até o final de 2021. Isso não seria ruim, considerando-se a situação atual, mas não é suficiente crescer - é preciso distribuir riquezas.

 

 Venilton Tadini, presidente da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (ABDIB)
Foto: Divulgação
Venilton Tadini, presidente da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (ABDIB)

Logística

INFRAESTRUTURA PRECISA DE ORÇAMENTO

Ontem, no Guia Econômico da Rádio O POVO/CBN, o presidente da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (ABDIB), Venilton Tadini, falou da necessidade de investimento público em logística.

O economista elogia o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, mas ressalta que não há precedente, no mundo, de um financiamento 100% privado nesse setor. "Atualmente, investimos cerca de R$ 140 bilhões por ano em infraestrutura; precisamos investir cerca de R$ 300 bilhões nos próximos dez anos para adquirir competitividade frente aos demais países, que são nossos concorrentes mais diretos. Temos um grande hiato pra resolver", adverte.

Tadini foi diretor da Secretaria do Tesouro Nacional e diretor das áreas de Infraestrutura e Planejamento do BNDES, entre 1990 a 1992, e atualmente é um crítico da política de teto fiscal. O empresário elogia a mudança na matriz energética no País, bem como o marco no saneamento, que trazem investimentos importantes.

Pesquisa

SE A ELEIÇÃO FOSSE HOJE…

A Genial Investimento e a Quaest Consultoria fizeram uma nova pesquisa sobre os possíveis candidatos às eleições presidenciais em 2022. Conforme o levantamento, Lula segue com boa vantagem diante do presidente Jair Bolsonaro nas intenções de voto. Nos cinco cenários estudados para o primeiro turno, o petista oscilou entre 44% e 47% na preferência dos entrevistados. Já Bolsonaro ficou entre 24% e 26%, e o cearense Ciro Gomes entre 6% e 9%. Quanto ao segundo turno, nas simulações, Lula vence em quatro cenários, com intenções de voto oscilando entre 52% e 58%.

Campanha

UNIDOS SOMOS MAIS FORTES

A Associação das Empresas do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (AECIPP) lançou a campanha "#UnidosSomosMaisFortes". O objetivo é mostrar a contribuição das empresas no combate à pandemia de Covid-19. As companhias do Pecém realizaram doações de mais de 13 mil cestas básicas e geraram a contratação de mais de três mil colaboradores.

Pague Menos

INVESTOR DAY

A Pague Menos fará hoje a apresentação dos seus avanços e inovações para investidores. O primeiro investor day da companhia ocorrerá hoje, de forma virtual, a partir das 15 horas, quando será comemorado um ano do lançamento do lançamento da oferta pública de ações da empresa na B3.

Os dados do balanço da rede de farmácias neste segundo trimestre mostram uma aceleração do crescimento de vendas, com uma alta de 20,6% no faturamento em relação ao ano passado. Os números alcançam a marca de R$ 2 bilhões.

Ferrovia

APOSTA CERTA

A marca Ferrovia Eyewear conseguiu crescer 17% em vendas durante a pandemia. A meta é ampliar em 40% até o final do ano. O resultado positivo é fruto de estudos sobre as necessidades do mercado. A empresa tem apostado na produção de lentes que protegem a visão contra o uso excessivo de telas.

 

Acompanhe o último episódio do Dei Valor:

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais