Foto de Plínio Bortolotti
clique para exibir bio do colunista

Plínio Bortolotti integra do Conselho Editorial do O POVO e participa de sua equipe de editorialistas. Mantém esta coluna, é comentarista e debatedor na rádio O POVO/CBN. Também coordenada curso Novos Talentos, de treinamento em Jornalismo. Foi ombudsman do jornal por três mandatos (2005/2007). Pós-graduado (especialização) em Teoria da Comunicação e da Imagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

Advogado de Flávio cometeu crime ao esconder Queiroz?

Muito provavelmente, os Bolsonaros vão pôr exclusivamente na conta do advogado Frederick Wassef o fato Fabrício Queiroz estar homiziado em um sítio dele, em Atibaia (SP). Eles vão tentar afastar-se da complicação, como fizeram com o próprio Queiroz, privado da amizade da família presidencial, desde que estourou o escândalo da “rachadinha”. De qualquer modo pôs-se fim à mais famosa pergunta dos últimos tempos: “Onde está o Queiroz?”

Porém, simular distanciamento de Wassef - advogado de Flávio - será difícil, pois ele frequenta a copa e cozinha de Bolsonaro, como ele próprio faz questão de espalhar. Atribuiu a si mesmo a primazia de ter introduzido na cabeça do capitão, o gérmen da mosca azul, indicando-lhe o caminho da rampa do Planalto. “Eu previ o futuro”, vangloria-se. Portanto, será custoso apagar esse passado, ainda mais porque, no transcorrer do processo, mentiras foram contadas.

Rachadinha
Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Frederick Wassef disse não ter contato com Queiroz desde 2018, quando o caso da rachadinha veio à tona. Negou também também ter-se reunido com advogados de Queiroz ou com alguém ligado a ele.

Quanto a possível encontro entre Flávio Bolsonaro e Queiroz a resposta de Wassef foi peremptória: “Nunca mais. Desde o fim de 2018, nunca mais ninguém da família Bolsonaro teve qualquer contato com o senhor Queiroz”. Flávio também garantiu não ter contato com o ex-assessor “há quase um ano”, como disse em entrevista do ao O Globo (24/10/2019).

Interesse sobrenatural, é onde a coisa pega
Mas o advogado cometeu crime ao esconder Queiroz? Sobre o assunto, conversei com o advogado Fábio Tofic Simantob, especialista em Direito Penal. Para ele, Frederick Wassef, advogado de Flávio Bolsonaro, não cometeu nenhum tipo de crime, pois apesar de “escondido, (Queiroz) não era foragido” da Justiça.

Com relação a Flávio Bolsonaro, “é onde realmente a coisa pega”, diz Tofic. Para ele, a prisão de Queiroz “e a forma como esse sujeito foi encontrado traz muitos problemas para a família Bolsonaro”. Para ele, o fato implica Flávio diretamente na investigação e mostra “um interesse sobrenatural” em proteger Queiroz. Ressalva, porém, que as consequências jurídicas do fato “vão ser avaliadas e sopesadas no próprio julgamento da causa, que está em andamento”.

A ver qual será o destino de Frederick Wassef. Pelo que se observa até agora, Bolsonaro costuma atirar ao mar, mesmo os mais fiéis aliados, quando se trata de favorecer a família.

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais