clique para exibir bio do colunista

Editor-executivo de Economia, é especialista em Teorias da Comunicação e da Imagem pela Universidade Federal do Ceará e mestre em Psicologia pela Universidade de Fortaleza. É vencedor de vários prêmios de jornalismo, como o Petrobras, Anac e ABCR.

RaoneSaraiva • NOTÍCIA

Cearense cria "Tinder do desempregado" para ajudar na busca por trabalho

Objetivo da startup Goowit é fazer match entre empresas e pessoas desempregadas. Para criar a rede social, foi investido R$ 1,4 milhão no desenvolvimento de tecnologias e parcerias Por

A fim de atender à demanda do mercado de trabalho, a startup cearense Goowit chega para fazer o match entre empresas e pessoas desempregadas. Para criar a rede social, foi investido R$ 1,4 milhão no desenvolvimento de tecnologias e parcerias. 

| LEIA TAMBÉM | Cearense cria "iFood de roupas" em Fortaleza com taxa de R$ 10

O acesso à plataforma, que tem a pretensão de ser o Tinder do desempregado, será gratuito para os trabalhadores. Já as empresas deverão pagar mensalidade para utilizar o serviço, mas poderão experimentá-lo gratuitamente por um período. A expectativa é que o Goowit se torne um unicórnio (empresa que atinge R$ 1 bilhão em faturamento) até 2022.

Segundo o CEO da Goowit, Deibson Silva, a plataforma tem como objetivo facilitar a combinação ideal entre instituições e profissionais, além de mapear o perfil comportamental de cada candidato por meio de uma inteligência artificial, batizada de Sherppy. A rede conta atualmente com 90 mil usuários.

“Os desenvolvedores oferecem, por exemplo, otimização no tempo de contratação, maior assertividade na seleção, retenção de talentos, redução do turnover, match entre perfil do candidato e o desenho da pessoa ideal para a função”, diz. Ele destaca que também que é possível encontrar na rede social uma gestão completa e eficaz de Recursos Humanos (RH) com gerenciamento de recrutamento e seleção, visibilidade no mercado, roteiro de processo seletivo e mapeamento de cargos.

O que a plataforma oferece

Para usuários:

1. Mapeamento de soft skills

2. Mentoria de carreira por meio de inteligência artificial

3. Trilha de aprendizagem baseada no desenvolvimento de competências

4. Conexões estratégicas com profissionais e empresas de diferentes áreas

5. Vagas segmentadas de acordo com o perfil do usuário

Para empresas:

1. Recrutamento com o auxílio de uma inteligência artificial para o match entre hard e soft skills

2. Gestão completa do processo seletivo

3. Otimização no tempo e custo de contratação

4. Módulos de educação corporativa e cultura organizacional

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais