Foto de Rossandro Klinjey
clique para exibir bio do colunista

Rossandro Klinjey é palestrante, escritor e psicólogo clínico. Autor vários de livros, é consultor em temas relacionado a comportamento, educação e família, além de colunista da Rádio CBN. Foi professor universitário por mais de dez anos, quando passou a se dedicar à atividade de palestrante

Rossandro Klinjey comportamento

As secretárias do capeta

Tipo Opinião

Você já ouviu falar nas três secretárias do capeta? Elas provocam muito mal-estar e muita confusão na humanidade.
Nos últimos tempos elas tem agido muito, e sabem com a ajuda de quem? Com a nossa ajuda.
Os nomes delas são Me Disseram, Me Falaram e Me Contaram. E eu acredito que ainda deva haver uma quarta, Ouvi Dizer.
Quantas notícias, quantas informações nós passamos sem questionar, sem observar, sem analisar a veracidade, só porque nos disseram, nos falaram, nos contaram ou ouvimos dizer.
E muitas vezes a mentira vai passando, de WhatsApp para WhatsApp, de Instagram para Instagram, de Facebook para Facebook e as pessoas vão acreditando.
Pessoas duvidam de vacina, doenças que estavam erradicadas voltaram, tudo porque me disseram, me contaram, me falaram, ouvi dizer.
A verdade liberta, já dizia isso Jesus no Evangelho. Liberta a verdade, nunca a mentira.
Muitas vezes acreditamos numa mentira porque ela confirma aquilo que a gente já gosta, aquilo que a gente acredita, ou aquilo que a gente acha que é verdade. Então, às vezes, até a gente sente que não é verdade, que é uma mentira, mas a gente repassa a notícia assim mesmo, porque ela confirma nossas crenças, viés de confirmação da psicologia. A tendência da gente só enxergar aquilo que confirma o que a gente acredita e ignorar aquilo que vai de encontro ao que a gente acredita.
Mas, para um ser humano maduro, responsável, ético, que vive numa sociedade e tendo o seu papel, muitas vezes se você não pode ao menos desmascarar a mentira, não repasse.
Tenha pelo menos a capacidade de não transmitir, de não compartilhar, de não curtir, até que você tenha acesso a fonte informacional verdadeira, confirmar se aquele site existe.
É tão fácil hoje confirmar se uma notícia é falsa ou verdadeira. Você coloca no Google essa notícia e olha lá. Se tem um monte de site sério falando, um monte de jornais, desde jornais que você concorda aos que você discorda, mas todos falando da mesma notícia, certamente já é um indício de você saber se a notícia é falsa.
Mas, às vezes, a gente tem preguiça. Às vezes a gente passa a notícia por preguiça de confirmar se é verdade.
Quem já não passou vergonha num grupo de família por ter mandado uma notícia e depois alguém da família mandar um link dizendo que é falsa?
Tem até sites especializados hoje em dia se aquilo tem ou não fundamento. Aquela fotografia, aquele gráfico, enfim.
Nós precisamos deixar de trabalhar para essas três secretárias do capeta. Afinal, a vida que merece ser vivida com dignidade não pode ser pautada sobre o que nos disseram, o que nos contaram, o que nos falaram ou no que ouvimos dizer.
Afinal de contas, a vida que merece ser pautada com dignidade e ética, é uma vida que é pautada tão somente na verdade.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais