Sérgio Redes
clique para exibir bio do colunista

O ex-jogador Sérgio Redes, ou

Crônica

Os dilemas do VAR, que decidiu o Brasileirão

Rodinei, lateral do Internacional, foi expulso diante do Flamengo em jogo decisivo do Brasileirão 2020
Rodinei, lateral do Internacional, foi expulso diante do Flamengo em jogo decisivo do Brasileirão 2020

Por força do isolamento a que estamos submetidos, tenho passado muito tempo em casa. Um livro, um velho álbum de fotografias, um filme, uma música, a lâmpada que queimou, uma porta ou uma janela emperrada, na verdade, um bom tempo vendo jogos de futebol.

Champions League, Liga Europa, Brasileirão e por aí vai. Comum a todos eles, as duas equipes de arbitragem. Uma dentro do campo de jogo e outra instalada em algum local do estádio, monitorando as telas de televisão com o objetivo de alertar para erros capitais.

A expulsão de um jogador do Internacional, domingo passado, me despertou para um fato. Rodinei, com seu jeito desastrado, adianta a bola na esperança de iniciar uma arrancada. Filipe Luís, ala-esquerdo do Flamengo, pressente o movimento e se antecipa retomando a bola.

Rodinei não controla a passada e, inadvertidamente, pisa no tornozelo de Filipe Luís. O árbitro vê o lance e pune o jogador com falta. Outros jogadores se aproximam porque o lateral-esquerdo ficou no chão. O árbitro também chega junto para evitar qualquer escaramuça.

Neste momento, o VAR interfere e sugere que o árbitro vá até o monitor de televisão instalado ao lado do campo. Ele obedece e vai até lá. Volta, entra no campo e faz um sinal com as mãos, como se desenhasse uma tela no ar e mostra o cartão vermelho para Rodinei.

Atônito, o jogador bota a mão na cabeça. Uma expulsão aos cinco minutos do segundo tempo. “Logo eu, que raramente tomo um cartão vermelho e que nem poderia jogar porque pertenço ao Flamengo e dependi de um sócio-torcedor do Inter que pagou R$ 1 milhão de multa para que jogasse”.

A punição foi severa e é possível que o árbitro não desse nem cartão amarelo, porque é muito raro o jogador que tem a posse da bola dar uma pancada em alguém. O VAR no Brasil tem suas singularidades. Interfere tanto que expõe os árbitros de campo, provocando desentendimentos.

As consequências dessa interferência têm seu preço. Vi São Paulo x Flamengo e gravei Internacional x Corintians. Fiquei estarrecido com a falta de respeito com os árbitros dentro de campo. Pensei que o bandeirinha que anulou o gol do Internacional contra o Corintians fosse ser linchado.

Na verdade, o VAR é muito chato e ainda mais num Brasil que está todo mundo impaciente com essa pandemia e a falta de vacina. O torcedor ficar cinco minutos esperando para saber se o que aconteceu foi legal acaba com a paciência de qualquer cidadão.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais