Foto de Vitor Magalhães
clique para exibir bio do colunista

Vitor Magalhães é jornalista do O POVO e escreve sobre política e mundo. É criador do Latinoscópio, projeto jornalístico que reúne diariamente informação, notícias, opinioes e curiosidades sobre os 20 países da América Latina

Vitor Magalhães internacional

Ao menos 138 jornalistas morreram por Covid-19 no mundo, aponta ONG

Levantamento feito pela ONG Press Emblem Campaign mostra América Latina como região mais afetada; Peru registra pior situação com pelo menos 21 óbitos

Levantamento feito pela ONG Press Emblem Campaign (PEC), aponta que ao menos 138 jornalistas morreram em decorrência do novo coronavírus, em 31 países, desde o início da pandemia. O balanço destaca que a América Latina é a região mais afetada, com mais de 60 mortes registradas. Na sequência estão Europa, Ásia, América do Norte e África.

O Peru registra a pior situação, com ao menos 21 jornalistas mortos em decorrência do vírus. Dez deles foram infectados enquanto trabalhavam segundo informações a Associação Nacional de Jornalistas do Peru (ANP).

A contagem da PEC baseia-se em dados de associações nacionais de jornalistas, mídia local e correspondentes. Na semana passada, Brasil e México registravam ao menos 13 mortes, cada, enquanto o Equador pelo menos 12 óbitos.

Em nota, a organização destacou que "Os trabalhadores da mídia têm um papel importante a desempenhar na luta contra o novo vírus, precisam informar sobre a disseminação da doença e vários morreram devido à falta de medidas de proteção adequadas no exercício de suas atividades".

O mundo ultrapassou a marca de 7 milhões de casos confirmados, com mais de 400 mil mortes segundo dados da Universidade Johns Hopkins, referência no acompanhamento global da pandemia.

Uma lista com nomes de alguns jornalistas que morreram por conta da pandemia pode ser encontrada no site da PEC.

 

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais