CIDADES

Caminhoneiros devem realizar paralisação contra preços de frete

|Nesta segunda | A decisão foi tomada por agentes da categoria e deve ser realizada em todo o País. No Ceará, será em três pontos
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Em 2018, caminhoneiros pararam atividades por 11 dias (Foto: Fábio Lima
)
Foto: Fábio Lima Em 2018, caminhoneiros pararam atividades por 11 dias

A insatisfação com a nova resolução sobre a política de preços mínimos do frete rodoviário, abaixo do esperado pela categoria, deverá gerar paralisação de caminhoneiros pelo País nesta segunda-feira, 22. No Ceará, o caminhoneiro Nelton da Silva confirmou a veracidade da movimentação no último domingo, 21. Ele encaminhou vídeo que mostra quatro caminhoneiros não identificados por O POVO em frente à Unidade Operacional (UOP) da Polícia Rodoviária Federal (PRF), no Eusébio.

Uma das pessoas que aparecem comunica o diálogo com a corporação. "Eles disseram que se for uma paralisação organizada, não vai ter problema algum", diz o caminhoneiro. Ele também profere, contudo, frases como: "para tudo" e "não passa nada".

A PRF confirmou o encontro com os caminhoneiros para alinhar os modos como a paralisação será executada. "Estiveram na UOP Eusébio comunicando a realização de um movimento pacífico às margens da rodovia, sem interdição", informou o órgão. Questionado sobre frases que sinalizam bloqueio de vias, a entidade não respondeu.

Ainda segundo o caminhoneiro Nelton da Silva, os pontos de paralisação devem ser três, como na greve do ano passado, que teve 11 dias de duração: Fábrica Fortaleza - no quilômetro 18 da BR-116 - além das proximidades do Porto do Pecém e do Mucuripe.

O Governo Federal tenta afastar a iminência de uma crise. O site do jornal Folha de S. Paulo veiculou áudios que seriam do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. Ele se dirige à liderança identificada como Cesar admitindo o erro. "A gente tem nosso limite, a gente erra também. Nós somos humanos". O responsável pela pasta adicionou ainda que a tentativa será de suspensão da vigência da tabela, até que se atinja entendimento em conjunto com a categoria.

Em outra suposta gravação de voz do ministro, esta se dirigindo à liderança chamada Dodô, ele atesta que se reunirá com Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para discutir a questão.

Segundo a ANTT, a elaboração da resolução teve participação de transportadores autônomos, empresas e cooperativas de transporte, contratantes de frete, embarcadores e diversos outros agentes da sociedade.

(Com Agência Estado)

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais