CIDADES

Não há perspectiva de chegada de novos lotes da Coronavac ao CE, diz Camilo

| ALERTA | Dificuldade na aquisição de insumo da china interrompe a produção do Butantan e da Fiocruz
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
ESTADO deve continuar recebendo doses da vacina da Pfizer, mas em lotes menores (Foto: FABIO LIMA)
Foto: FABIO LIMA ESTADO deve continuar recebendo doses da vacina da Pfizer, mas em lotes menores

O Governo do Estado não tem perspectiva para a chegada de novos lotes da CoronaVac ao Ceará. O governador Camilo Santana afirmou que o último lote previsto chegou ontem, 14. Durante transmissão para anúncio do novo decreto estadual, o gestor demonstrou preocupação pela interrupção da produção da vacina pelo Butantan por falta do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA).

O Ceará recebeu mais 41.600 doses da CoronaVac na manhã de ontem. Conforme Camilo, o Estado deve continuar recebendo doses da vacina da Pfizer mas em lotes menores. Durante a transmissão, ele frisou que o Estado tentou comprar o imunizante da Pfizer, mas a venda foi negada porque a empresa estava em tratativas com a União.

Leia também: Segundo ano da pandemia causa mais mortes, alerta OMS

Bares, restaurantes e barracas de praia funcionam até 21h com novo decreto

Brasil acumula 14.028.355 pessoas recuperadas da Covid-19

 

O problema na aquisição de insumos também afeta a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), responsável pela produção das vacinas da AstraZeneca. Problemas na entrega da CoronaVac já atrasaram a segunda dose em diversos Estados.

"Nós, os governadores e a embaixada do Brasil, estamos em tratativa com a China para que eles possam liberar o embarque do IFA para o Brasil. Não há perspectiva neste momento da data que receberemos novas vacinas do Butantan", enfatizou Camilo. Ele frisou ainda que aguarda ainda a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a importação de milhões de doses da vacina russa Sputnik V, adquiridas pelo Estado.

Mais de 2,3 milhões de cearenses já foram imunizados. Sendo que 1.472.477 receberam a primeira dose (D1) e 859.367 já foram contemplados com a segunda dose (D2) também. Os dados se referem à atualização feita às 17 horas dessa quinta-feira, 13.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), informou a interrupção na fabricação ontem, 14, durante a entrega do último lote da primeira etapa do contrato de 46 milhões de doses da vacina para o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde.

A situação vai impactar na previsão de entrega de doses para o mês de maio. De acordo com o instituto, o número seria de 12 milhões de doses, mas o repasse deve ser de pouco mais de 5 milhões. Segundo a gestão estadual, o cronograma de vacinação anunciado será cumprido, mas é possível que o ritmo seja desacelerado para que não ocorram interrupções.

"Não temos mais insumos, mais IFA, para a produção de vacinas CoronaVac, que até aqui abasteceram 70% de todo o sistema vacinal do País. Não temos porque o governo da China ainda não liberou o embarque de 10 mil litros de insumos que estão prontos, destinados ao Instituto Butantan pelo laboratório Sinovac, que correspondem a aproximadamente 18 milhões de doses da vacina, absolutamente necessários para manter a frequência do sistema vacinal, acelerar e, principalmente, atender aqueles que precisam tomar a segunda dose da vacina", disse o governador de São Paulo.

No caso da Fiocruz, a produção será interrompida por "alguns dias" na próxima semana à espera de insumos também vindos da China, com previsão de entrega no dia 22. A instituição disse que os lotes "têm chegado continuamente" e as duas remessas de maio garantem entregas semanais de doses até a terceira semana de junho. (Com Agência Estado)

 

FORTALEZA,CE, BRASIL, 15.04.2021: Vacinação Drive-Thru no Centro de Eventos. PAra aqueles que tomaram a primeira dose foi aplicada a Astrazeneca e para aqueles que tomariam a segunda dose foi aplicada a Coronavac. /O POVO).
FORTALEZA,CE, BRASIL, 15.04.2021: Vacinação Drive-Thru no Centro de Eventos. PAra aqueles que tomaram a primeira dose foi aplicada a Astrazeneca e para aqueles que tomariam a segunda dose foi aplicada a Coronavac. /O POVO).

Covid-19: Fortaleza registra média móvel de mortes 52% menor em 14 dias; número tende a diminuir

Em Fortaleza, a média móvel de óbitos por Covid-19 tem registrado uma tendência a diminuição gradual e consistente, apesar de eventuais oscilações e platôs. A média calculada na 19ª semana epidemiológica de 2021 (7 a 13 de maio) foi de 15,4, 52% menor do que à mensurada 14 dias atrás (32).

A constatação foi divulgada em boletim publicado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) nesta sexta-feira, 14 de maio (14/05). No que se refere ao total de óbitos, 8.264 pessoas residentes de Fortaleza foram vitimizadas pelo coronavírus desde o começo da pandemia.

Gráfico com histórico de médias móveis de óbitos por Covid-19 em Fortaleza. O azul representa o total de mortes, enquanto a linha laranja indica as médias móveis
Gráfico com histórico de médias móveis de óbitos por Covid-19 em Fortaleza. O azul representa o total de mortes, enquanto a linha laranja indica as médias móveis (Foto: Reprodução/SMS)

LEIA TAMBÉM | Covid-19: Ceará apresenta redução de casos e mortes na Capital e no Interior

Em relação aos casos confirmados, 219.260 foram registrados por critério laboratorial até 12 de maio. Neste número, não estão incluídos os casos diagnosticados por teste rápido em que a data de início dos sintomas e a data da coleta são a mesma ou aconteceram num intervalo de sete dias. A SMS analisa que a situação atual quanto aos casos indica tendência estável.

A Capital apresenta hoje uma média móvel de casos estimada em 272,3, número 75% menor em comparação àquele de duas semanas atrás (1.093,1). Este dado tem oscilado recentemente, no entanto, ressaltando a importância de monitoramento minucioso da incidência de casos.

Leia também | Covid-19: Tempo médio de internação aumenta mais de 100% em relação à 1ª onda no Ceará
Ceará tem 4.245 novos casos de Covid-19 em 24 horas

74% dos óbitos totais de Fortaleza aconteceram entre pessoas com mais de 60 anos, enquanto 62% dos casos incidiram naquelas entre 20 e 59 anos. A maioria dos casos foi diagnosticada no sexo feminino (56%) e a maioria das mortes afetou pacientes do sexo masculino (55%). Geograficamente, os números do Município foram divididos pelo boletim da seguinte forma:

Regional I
Casos: 18.067
Óbitos: 1.224

Regional II
Casos: 36.609
Óbitos: 1.446

Regional III
Casos: 20.555
Óbitos: 1.229

Regional IV
Casos: 22.738
Óbitos: 1.131

Regional V
Casos: 32.194
Óbitos: 1.801

Regional VI
Casos: 36.648
Óbitos: 1.432

Sem regional especificada
Casos: 52.449
Óbitos: um

FORTALEZA, CE, 08.05.2021: Primeiro fim de semana com comercio, lojas e shoppings abertos com novo decreto. As fotos destacam a movimentacao no shopping Iguatemi, um dia antes do dia das maes. Coco, Fortaleza.(BARBARA MOIRA/ O POVO)
FORTALEZA, CE, 08.05.2021: Primeiro fim de semana com comercio, lojas e shoppings abertos com novo decreto. As fotos destacam a movimentacao no shopping Iguatemi, um dia antes do dia das maes. Coco, Fortaleza.(BARBARA MOIRA/ O POVO)

Comércio de rua encerra atividades às 19 horas com novo decreto estadual

Comércios de rua passam a funcionar das 10h às 19 horas nas macrorregiões de Fortaleza e Sobral a partir de segunda-feira, 17 de maio (17/05). Isso engloba os estabelecimentos situados fora de shoppings, incluindo escritórios em geral, mas não aqueles de alimentação, como bares, restaurantes e barracas de praia. A flexibilização foi anunciada pelo governo estadual na noite desta sexta-feira, 14.

O novo horário funciona durante toda a semana, de segunda-feira a domingo. Mais informações devem ser divulgadas junto do novo decreto estadual. As atividades comerciais em outras regiões do Ceará continuam encerrando às 16 horas nos dias de semana e às 15 horas nos fins de semana, seguindo as regras do decreto anterior.

LEIA MAIS | Ceará tem 4.245 novos casos de Covid-19 em 24 horas

Após o início da flexibilização do segundo lockdown adotado no Estado, no último dia 12 de abril, o governador Camilo Santana (PT) liberou setores da economia por quatro semanas. O último documento anunciado por Camilo, no dia 7 de maio, contudo, determinou prorrogação do decreto que estava em vigor, sem avançar na reabertura. Com o anúncio de hoje, a flexibilização entra em uma nova etapa.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais