CIDADES

Fortaleza é a 4ª capital do Nordeste que mais vacinou

A Capital cearense fica atrás de João Pessoa, Recife e Salvador, segundo painel de vacinação do Ministério da Saúde
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Na foto, uma mulher recebe a vacina contra a covid-19 no Sesi da Parangaba, um dos 113 pontos de imunização em Fortaleza (Foto: Fernanda Barros)
Foto: Fernanda Barros Na foto, uma mulher recebe a vacina contra a covid-19 no Sesi da Parangaba, um dos 113 pontos de imunização em Fortaleza

Pouco mais de cinco meses desde o início da campanha de imunização contra a Covid-19 no Brasil,  12,58% da população de Fortaleza recebeu as duas doses das vacinas contra a doença. Num universo de 2,6 milhões de habitantes, segundo projeção do IBGE, 338.202 foram imunizados com as duas doses (D1) e  (D2), número que coloca a Capital cearense, proporcionalmente, na quarta posição no ranking de vacinação com as duas doses no Nordeste. A cidade fica atrás de João Pessoa (13,67%), Salvador (14,09%) e Recife (14,98%). Os dados constam no painel de vacinação do Ministério da Saúde, atualizado nesta quarta-feira, 23, com base nas informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde.

A nível nacional, quando considerados os percentuais de imunização com D2 das 26 capitais brasileiras mais o Distrito Federal, Fortaleza fica na 12ª colocação. Na liderança, com 22,77% da população imunizada, aparece a capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Depois, Vitória (ES), com 19,46%, seguida de Campo Grande (MS), com 16,61%, Belo Horizonte (MG), com 15,96% e Belém (PA), com 15,60%.

Das nove capitais nordestinas, apenas Recife (PE), Salvador (BA) e João Pessoa (PB) ficaram no “top 10” do ranking, ocupando as posições de número 6, 8 e 10, respectivamente. Na parte inferior da lista, cinco capitais da Região Norte amargam os menores percentuais de cobertura: Porto Velho - RO (8,61%), Boa Vista - RR (8,07%), Rio Branco - AC (6,98%) e Palmas - TO (6,31%).

Desde o início da campanha de vacinação, o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais e municipais têm ressaltado que, sem a dose de reforço, o corpo não consegue gerar resposta imunológica satisfatória ao novo coronavírus. O tempo entre a primeira e a segunda aplicação varia de acordo com o antígeno: Oxford/Astrazeneca e Pfizer tem intervalo de três meses e CoronaVac, de até 28 dias.

A administração das duas doses, no tempo certo, é indispensável para que o grau de eficácia atingido pelas vacinas na fase final dos testes seja alcançado. A aplicação de apenas uma dose, conforme especialistas, gera imunidade parcial.

A infectologista Silvia Fonseca afirma que a resposta imunológica proporcionada pelos imunizantes costuma variar de pessoa para pessoa”. “Cada organismo possui uma resposta imune diferente a determinado tipo de vacina”, diz.

A médica ainda ressalta que as pessoas parcial ou totalmente imunizadas devem manter os mesmos cuidados com a prevenção, uma vez que a circulação do coronavírus, segundo ela, permanece alta. “Não podemos bobear, os vacinados devem continuar utilizando máscara, respeitando o distanciamento social, usando sempre álcool gel. Os próprios estudos mostram que um percentual, mesmo pequeno, de pessoas imunizadas corre risco de contrair o vírus e transmiti-lo para outras pessoas”, comenta Fonseca.

LEIA TAMBÉM | Covid-19: Ceará é o 7º estado que mais vacinou com 2ª dose

Repescagem para vacinação

Para acelerar a aplicação de D2, Fortaleza vai realizar uma nova repescagem para quem está com a segunda dose de CoronaVac atrasada. O imunizante, específico para este público, estará disponível nesta quinta-feira, 24, e sexta-feira, 25, nos quatro Cucas (Mondubim, Barra do Ceará, Jangurussu e José Walter) e no Sesi da Parangaba.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a vacinação ocorrerá das 9 às 17 horas. É necessário apresentar a comprovação do agendamento, documento de identidade com foto, CPF, comprovante de residência e o cartão de vacinação.

Atraso de AstraZeneca

Quem ainda não tomou a segunda dose da vacina AstraZeneca e não conseguiu agendar a aplicação da D2, embora tenha passado o intervalo de três meses, deve procurar qualquer ponto de vacinação, com os documentos necessários, além do cartão de vacinação. Nesse caso, de acordo com a SMS, a imunização será realizada mediante ordem de chegada.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais