CIDADES

Ofício do Conass pede autorização para vacinação heteróloga na D2

O ofício demanda a priorização da dose de reforço de idosos com 60 anos ou mais e imunossuprimidos e sugere a redução do prazo para aplicação da dose extra de seis para cinco meses
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Idosos institucionalizados são um dos públicos favorecidos com a terceira dose da vacina contra a Covid-19 (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil Idosos institucionalizados são um dos públicos favorecidos com a terceira dose da vacina contra a Covid-19

O Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) enviou, segunda-feira passada, 13, um ofício ao Ministério da Saúde, no qual pede a autorização da combinação de vacinas para aplicação de segunda dose contra a Covid-19, quando houver risco de atraso em situações de indisponibilidade do imunizante utilizado na primeira dose. As informações são do portal Yahoo Notícias. 

O pedido de autorização para vacinação heteróloga (mistura de vacinas) leva em consideração o contexto em que estados têm apontado falta de doses de AstraZeneca, que são enviadas pelo governo federal.

O ofício demanda ainda a priorização da dose de reforço dos idosos com 60 anos ou mais, em especial os institucionalizados, e das pessoas com comprometimento do sistema imunológico, de preferência com vacina diferente em relação às duas primeiras doses.

LEIA MAIS | Quem pode tomar a 3ª dose ou reforço da vacina contra a Covid-19?


Além disso, o ofício sugere a redução do prazo de seis para cinco meses após a última dose do esquema vacinal (uma ou duas doses) para aplicação da dose extra, com o objetivo de reduzir o número de internações e óbitos.

O texto assinado pelo presidente do Conselho, Carlos Lula, pede que a vacinação dos adolescentes sem comorbidades aconteça depois do atendimento das prioridades elencadas. 

Em Fortaleza, a dose de reforço começou a ser aplicada na última quarta-feira, 8. A Capital espera atender, nesse primeiro momento, 862 idosos que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILP). O Lar Torres de Melo, no bairro Jacarecanga, foi o primeiro local contemplado, onde 158 idosos já foram vacinados com a terceira dose.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais