Logo O POVO Mais
CIDADES

Fortaleza não registra mortes por Covid há 20 dias; positividade tem discreto aumento

A Capital continua em estágio de "muito baixa mortalidade". Porcentagem de casos confirmados representa o triplo da positividade registrada há sete dias
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
 DE UM UNIVERSO de 855 testes realizados, 41 amostras foram positivas (Foto: FABIO LIMA)
Foto: FABIO LIMA  DE UM UNIVERSO de 855 testes realizados, 41 amostras foram positivas

Fortaleza não registra mortes por Covid-19 há 20 dias, de acordo com boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) nesta terça-feira, 31. No entanto, a positividade dos casos aumentou. A porcentagem de casos confirmados na Capital foi de 4,8% das amostras coletadas por laboratórios da rede pública entre os dias 23 e 29 de maio. No total, foram 41 amostras positivas de um universo de 855 testes realizados.

O dado apresentado pela Secretaria no boletim desta terça-feira representa o triplo da positividade registrada no boletim divulgado na última terça-feira, 24, quando a taxa era de 1,6%. A Capital segue com estágio de “muito baixa mortalidade”.

Em relação à média móvel de casos, o valor registrado neste boletim é de 12,4, inferior ao número registrado há duas semanas (13,4). “Com o pequeno número de casos diários, entramos em um período de estabilização, embora tenha havido discreto aumento em maio”, aponta a pasta, lembrando que a Cidade vivencia um “decaimento consistente” desde meados de março.

Com o fim da terceira onda da pandemia, o cenário epidemiológico de Fortaleza segue com baixa transmissão, sendo caracterizada pela SMS como “residual e limitada”. Já o atual padrão de mortalidade mostra que, após um incremento das fatalidades nas quatro primeiras semanas do ano, as mortes diárias diminuíram, atingindo marca inferior a uma morte por dia em março. Nos últimos 20 dias não houve confirmação de novos óbitos, que são considerados “eventos raros”.

Entre os pacientes com Covid-19 em Fortaleza, observa-se que 73% dos casos e 26% das mortes foram confirmados na população entre 20 e 59 anos. Assim como 18% das infecções e 74% dos óbitos foram confirmados no grupo com 60 anos e mais. Já a maioria dos pacientes que morreu era do sexo masculino (54%).

Em 2022, o mapa de calor dos casos na Capital caracteriza-se, principalmente, pela formação de um grande aglomerado de alta intensidade nos bairros de alto IDH. O registro parte do bairro Meireles, expandindo-se ao sul para os bairros Aldeota, Dionísio Torres, Joaquim Távora e Fátima, e a leste para os bairros Papicu, Cidade 2000 e Cocó. A pasta lembra que essas populações têm maior acesso aos testes diagnósticos.

Também são observados outros aglomerados de menor relevância epidemiológica continuamente na região centro-oeste do Município. Enquanto isso, a Regional VI continua sem concentração significativa de óbitos. No total, 809 eventos georreferenciados foram utilizados para a elaboração do mapa de calor.

>> Leia a íntegra do boletim epidemiológico

Atualizado às 20h53min

Essa notícia foi relevante pra você?