Cotidiano

Problemas emocionais também interferem na aprendizagem

Edição Impressa
Tipo Notícia Por

Estresse, problemas familiares, déficit cognitivo e bullying também podem ser fatores para que crianças e adolescentes tirem notas baixas, conforme a neuropsicóloga e psicopedagoga, Noélia Marques. “Muitas queixas de aprendizagem estão relacionadas ao déficit cognitivo — seja de atenção ou de memorização — e questões emocionais”, alerta.


Ela explica que há técnicas de estimulação que podem ajudar a criança ou adolescente a desenvolver foco e melhorar o tempo de atenção e a atenção seletiva. Identificar esses problemas cedo por meio de avaliação neuropsicológica pode evitar que as dificuldades continuem na adolescência.


“Algumas crianças têm um processamento mental mais lento e os pais dizem que são preguiçosas. Às vezes, a criança demora demais pra fazer uma tarefa ou fica dispersa e o pai perde a paciência. A criança também tem problemas. Se no desenvolvimento da personalidade ela tem pensamentos repetitivos, isso gera ansiedade e vai interferir na autoestima e na aprendizagem”, particulariza.


É importante ainda identificar problemas emocionais e o bullying para garantir acompanhamento médico e medidas na escola. “Separação dos pais e um familiar com transtorno de humor, por exemplo, resultam em um clima em casa que não vai deixá-la tranquila. E a criança não tem habilidade para perceber que o problema não é com ela”.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais