DOM

Construção Civil encara os desafios

Neste ano
Edição Impressa
Tipo Notícia
Casas de condomínios fechados voltados para a alta renda tiveram alta nos valores de venda de até 100% em pouco mais de um ano de pandemia de Covid-19
 (Foto: Camila de Almeida, em 19/6/2019)
Foto: Camila de Almeida, em 19/6/2019 Casas de condomínios fechados voltados para a alta renda tiveram alta nos valores de venda de até 100% em pouco mais de um ano de pandemia de Covid-19

A redução da Selic para 4,5% ao ano - menor patamar desde o início da série histórica, em 1986 -, iniciou um movimento de redução na taxa de juros do crédito imobiliário. Fator que deve deixar somente em 2019 as dificuldades enfrentadas pelo setor da construção civil. No Ceará, as construtoras iniciaram 2019 com aproximadamente 11 mil unidades disponíveis para venda e encerram com cerca de 6.500. Mesmo com vendas abaixo do esperado, a expectativa do setor é que 2020 seja melhor.

"Com os juros baixando, a economia voltando a crescer e gerando novos empregos, acreditamos que 2020 será um ano bastante interessante para o setor", projetou André Montenegro, sócio-diretor da Morefácil.

Segundo ele, muitas construtoras têm projetos prontos e licenciados, mas optaram por não iniciá-los. A previsão é que o setor ganhe fôlego já no primeiro trimestre deste ano. "O ano de 2019 foi de redução de estoque. Há quatro anos, ninguém lança praticamente nada", afirma Patriolino Dias, diretor-executivo da Dias de Sousa Construções e presidente do Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE).

No entanto, para que as construtoras pudessem diminuir o estoque de imóveis à venda, foi necessário que o preço fosse reduzido, o que impactou na margem de lucro das companhias.

Porém, a projeção é que o cenário seja positivo nos próximos anos. "A taxa de juros no Brasil está no menor patamar da história, e pode cair ainda mais. Isso contribui para atrair pessoas que antes não podiam comprar porque o valor era alto para seu orçamento ou mesmo para que pessoas que já tenham imóveis possam trocá-los", explica Patriolino.

Para a retomada da venda de imóveis, ele acredita que o trabalho desenvolvido pela equipe econômica do Governo Federal está no caminho certo. Mas para que haja uma retomada das vendas de imóveis no Ceará, é preciso que haja uma maior renda para as pessoas.

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais