Economia

Começam os 30 anos da Fraport em Fortaleza

A partir de hoje, a concessionária alemã passa a auxiliar a Infraero na gestão do aeroporto. Com a assinatura dos contratos de concessão de quatro terminais, Governo Federal vai arrecadar mais de R$ 1 bilhão
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
NULL (Foto: )
Foto: NULL
[FOTO1]

A Fraport AG Frankfurt Airport Services assume hoje, oficialmente, a administração compartilhada do Aeroporto de Fortaleza por 30 anos com a assinatura do contrato de concessão do terminal. A gigante alemã arrematou o equipamento em leilão no último dia 16 de março, por R$ 1,505 bilhão; junto ao Aeroporto Internacional de Porto Alegre (Salgado Filho), por R$ 382 milhões.

[SAIBAMAIS]

Haverá parceria na gestão com a Infraero durante seis meses. Conforme cronograma estabelecido pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), de hoje a 28 de outubro de 2017, a Infraero permanece à frente da administração, auxiliada pela Fraport. De 28 de outubro de 2017 a 28 de janeiro de 2018, a alemã assume a gestão, mas ainda acompanhada pela Infraero. Apenas em 2018 fica livre para operar sozinha.


Ontem, a Fraport Brasil confirmou ao O POVO, por telefone, que a empresa assume hoje o Pinto Martins. Porém, não especificou como se dará esta atuação. Detalhes devem ser divulgados somente após a chegada do CEO da Fraport, Stefan Schulte, ao Brasil, em agosto.


Ao longo dos próximos anos a alemã Fraport aplicará de R$ 1,7 bilhão a R$ 2 bilhões em melhorias no Aeroporto Internacional Pinto Martins. Dentre as intervenções previstas para os 30 anos de concessão, inicialmente em duas etapas, está a conclusão das obras do aeroporto, que será revitalizado e, em quatro anos, passará por uma expansão.


Arrecadação

Na manhã de ontem, o Governo Federal realizou cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, para anunciar a implementação do Programa de Concessão dos aeroportos internacionais de Fortaleza e de Porto Alegre, junto aos de Salvador (Luís Eduardo Magalhães) e de Florianópolis (Hercílio Luz), que serão administrados, respectivamente, pela francesa Vinci e pela suíça Zurich.

 

Com a concessão dos quatro equipamentos, o Governo Federal vai arrecadar R$ 3,72 bilhões em outorgas. Somente hoje, com a assinatura dos quatro contratos, o Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC) vai receber R$ 1,46 bilhão, à vista. O valor resulta da soma do ágio ofertado, mais a contribuição mínima de 25% sobre o valor total da outorga. Juntos, os grupos europeus terão obrigação de investir R$ 6,61 bilhões nos quatro terminais.

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais