Economia

Agentes de viagem podem receber auxílio do governo do Estado

Após reunião com representantes do segmento, expectativa é que proposta final seja apresentada em até 15 dias e seja semelhante ao estabelecido a outros setores
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Associação que representa pequenos hotéis, pousadas e hostels já prevê 
mais 500 demissões em breve. 
Foto do litoral leste do Ceará (Foto: AURELIO ALVES)
Foto: AURELIO ALVES Associação que representa pequenos hotéis, pousadas e hostels já prevê mais 500 demissões em breve. Foto do litoral leste do Ceará

Os agentes de viagens do Ceará podem ser mais uma categoria beneficiada com um auxílio financeiro estadual, após os profissionais de eventos e de alimentação fora do lar. A informação é do coordenador do Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia, Flávio Ataliba, que se reuniu ontem com o presidente da Agência Brasileira de Agências de Viagem no Ceará (Abav-CE), Murilo Santa Cruz.

Estima-se que, pelo menos, 3 mil pessoas sejam contempladas com a medida. O Ceará tem cerca de 230 agências de viagem e quase 600 microempreendedores individuais (MEIs) atuando no segmento, segundo a Abav-CE. Ataliba explicou que, a partir dos dados de impacto econômico e das propostas apresentadas, um grupo técnico vai trabalhar ao longo da semana para apresentar uma contraproposta. "Eu acredito que em 15 dias nós conseguiremos formatá-la", projetou Ataliba.

Já o presidente da Abav-CE lembrou que o setor é linha de frente da cadeia turística do Ceará. "Nosso segmento também impacta a economia cearense trazendo a reboque bares, restaurantes, taxistas, motoristas por aplicativos, ambulantes e o comércio, de um modo geral, setores beneficiados com o dinheiro trazido por esses turistas", sustenta Santa Cruz. Ele explica que as propostas apresentadas ao governo do Estado seguem linha próxima às que foram concedidas a outros setores recentemente beneficiados. "A principal delas é um auxílio para os trabalhadores que perderam seus empregos, tais como consultores de viagens e guias de turismo", defende. O valor a ser pago deve ser de R$ 1 mil, em duas parcelas de R$ 500, tal como estabelecido para outras categorias profissionais.

"Pedimos, ainda, isenção de IPVA dos anos de 2021 e 2022, pois estamos pagando um valor altíssimo desse tributo sobre nossas frotas de ônibus paradas, isenção de débitos de água e de ICMS sobre a tarifa de energia. Se essas medidas forem atendidas temos chance de atravessar essa pandemia e nos recuperar rapidamente, já que o Ceará é o destino preferencial entre os brasileiros", acrescenta.

Também fortemente impactado pela pandemia, o setor de hotelaria aguarda novas medidas de ajuda econômica por parte das esferas municipal, estadual e federal. A presidente da Associação dos Meios de Hospedagem e Turismo (AMHT), Vera Lúcia da Siva, afirma, contudo, que as iniciativas adotadas até agora pelos três níveis de governo ficaram aquém do esperado.

A associação representa pequenos hotéis, pousadas e hostels. "Dá para dizer por baixo que no nosso nicho umas 500 pessoas vão ser demitidas. Depois se não vier ajuda do governo federal, o que fez muita diferença no ano passado, esse número com certeza será bem maior", lamenta.

Por sua vez, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE), Régis Medeiros, acrescenta que "outra coisa muito importante que esperamos do governo federal é linha de crédito que possa dar fôlego às empresas para atravessarem esse momento". A entidade representa, principalmente os grandes hotéis.

 

QUEM PODE SOLICITAR ISENÇÃO DE IPVA

Agenciamento de espaços para publicidade, exceto em veículos de comunicação

Aluguel de palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário, exceto andaimes

Atividades de produção de fotografias, exceto aérea e submarina

Atividades de sonorização e de iluminação

Casas de festas e eventos

Criação de estandes para feiras e exposições

Filmagem de festas e eventos

Fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para empresas

Gestão de espaços para artes cênicas, espetáculos e outras atividades artísticas

Produção de espetáculos circenses, de marionetes e similares

Produção de espetáculos de dança

Produção de espetáculos de rodeios, vaquejadas e similares

Produção de filmes para publicidade

Produção musical

Produção teatral

Serviços de alimentação para eventos e recepções - bufê

Serviços de organização de feiras, congressos, exposições e festas

 

Fonte: Governo do Estado do Ceará

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais