Economia

Datacenter e CD da Amazon no Ceará devem ser anunciados em breve

Entendimentos estão finalizados e confirmação deve ser dada pelo governador, segundo secretário
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
CD da Amazon é construído no 4º anel viário (Foto: JÚLIO CAESAR)
Foto: JÚLIO CAESAR CD da Amazon é construído no 4º anel viário

Em negociação há mais de dois anos, Governo do Estado e Amazon chegaram a um acordo sobre as instalações de um datacenter e um centro de distribuição (CD) da empresa no Ceará. Ao que afirmou o secretário Maia Júnior (Desenvolvimento Econômico e Trabalho), “estão praticamente finalizados os entendimentos”.

“A gente ainda não pode dar detalhes por confidencialidade no contrato. Muito em breve, mas muito em breve mesmo, o governador (Camilo Santana) deve anunciar o centro de distribuição e o datacenter”, afirmou Maia.

Camilo, inclusive, foi até a sede da Amazon, em Seattle, em dezembro do ano passado justamente para assinar o acordo com a Amazon Web Service, subsidiária da empresa para a computação em nuvem. O equipamento deve reforçar o projeto de hub tecnológico do Ceará e ser mais um player a ancorar o projeto, como a Angola Cables.

Sobre o CD, a gigante de tecnologia já colocou sua logo em estrutura localizada na Rodovia 4º Anel Viário, em Maracanaú. A empresa sempre manteve sigilo sobre a instalação do centro de distribuição no Ceará, mesmo quando O POVO apurou que houve seleção da equipe própria para atuar no Estado, em abril de 2021.

Oficialmente, a gigante do e-commerce ainda não confirmou a estrutura de um CD no Ceará, mas agora, além das contratações, a logo da Amazon já foi colocada no empreendimento localizado no Anel Viário. Procurada pelo O POVO, a companhia retornou que "não comenta sobre planos futuros".

Sobre o CD no estado, em fevereiro, o Governo do Ceará regulamentou um decreto que disciplina o comércio eletrônico (marketplace) no Estado. A medida abre caminho para que não apenas a Amazon, mas outros players do setor, como Magalu e Americanas.

Além do CD da norte-americana, inclusive, Maia Júnior contou que há tratativas com as redes de varejo brasileiras Magalu e Americanas para ampliação dos centros de distribuição delas no Estado, como forma de reforçar a logística local e atrair mais empresas do setor. (Colaborou Beatriz Cavalcante)

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais