Economia

Fiéis comemoram liberação de 100% de público nas igrejas

Líderes católicos e evangélicos alertam para os cuidados que ainda devem ser mantidos em meio à pandemia
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Primeira Igreja Presbiteriana, no  Centro de Fortaleza  (Foto: Bárbara Moira)
Foto: Bárbara Moira Primeira Igreja Presbiteriana, no Centro de Fortaleza 

A alegria foi o sentimento compartilhado por líderes religiosos e fiéis, neste domingo, 17 - o primeiro após a liberação de 100% da capacidade de público das igrejas no Ceará. Apesar da vigência do decreto estadual, anunciado pelo governador Camilo Santana na última sexta-feira, 15, ainda não houve lotação máxima nos templos.

Durante a manhã, fiéis foram recepcionados na Catedral de Fortaleza para acompanhar a missa de abertura da fase arquidiocesana do Sínodo. Centenas de pessoas puderam acompanhar o momento, celebrado pelo arcebispo metropolitano Dom José Antonio.

Na ocasião, católicos de diferentes lugares do Ceará estiveram presentes, como Alexandrina Soares, que é da Paróquia Nossa Senhora dos Prazeres, em Caucaia. Ela disse estar honrada em poder participar da celebração no local em que classificou como "casa mãe".

Sobretudo neste momento de retorno do público às igrejas. "Há muito tempo eu não vinha para cá. É um sentimento de gratidão e satisfação", confessou.

Para que Alexandrina e outras pessoas pudessem estar naquele ambiente, regras continuaram a ser cumpridas, como o uso correto da máscara, disponibilidade de álcool, além da manutenção de certo distanciamento entre as pessoas.

Primeira Igreja Presbiteriana, no  Centro de Fortaleza 
Primeira Igreja Presbiteriana, no Centro de Fortaleza  (Foto: Bárbara Moira)

Mas como fazê-las continuarem distantes se o decreto permite o 100%? Foi o que questionou o pastor Elizeu Dourado de Lima, da Igreja Presbiteriana de Fortaleza.

"Cremos que os cuidados devem permanecer, mas as pessoas normalmente ficam próximas quando a igreja está com toda a sua capacidade. Então vamos em busca de informações para melhorar as orientações ao longo da semana", afirmou.

Somente no próximo domingo, 24 de outubro, o templo vai realmente abrir suas portas sem restrições sobre a sua capacidade de abrigar o público. "Estamos com muita alegria no coração por essa expectativa do retorno", declarou.

Os sentimentos de felicidades e de prudência também são partilhados pelo secretário-executivo de Pastoral, João Augusto Stascxak. "Recebemos a notícia com muita alegria, mas mesmo com 100% da capacidade, a gente precisa prezar pela vigilância e pelos cuidados. Não é um 'liberou geral', não", disse.

Ele ainda complementou, afirmando que esse retorno do público é um alívio tanto para a comunidade religiosa, como também para todos. "Os eventos esportivos estão voltando, as atividades dos restaurantes estão aumentando, e para a Igreja, ver tudo isso, é sensacional", evidenciou.

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais