Logo O POVO Mais
Economia

Impulsionado pelos serviços prestados às famílias, setor avança no Ceará

| EM NOVEMBRO | Resultado foi positivo em 0,4%, o que não superou a média nacional pesquisada pelo IBGE, de 2,4%
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
O volume de serviços entre outubro e novembro foi o mais intenso da série histórica da pesquisa (Foto: JÚLIO CAESAR)
Foto: JÚLIO CAESAR O volume de serviços entre outubro e novembro foi o mais intenso da série histórica da pesquisa

O desempenho do setor de serviços no Ceará fechou o mês de novembro de 2021 com avanço de 0,4% ante outubro e fechou o período abaixo da média nacional. No mesmo período, o Brasil teve alta de 2,4%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgadas ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O que impulsionou o resultado cearense no índice em novembro foi o desempenho dos serviços prestados às famílias (+26,3%). Depois vem os serviços de transporte, auxiliares ao transporte e correio (+23,6%), além dos serviços de informação e comunicação (+22,7%).

O aumento do índice nacional no volume de serviços prestados na passagem de outubro para novembro foi o mais intenso para esse período do ano dentro da série histórica da PMS, iniciada em 2011. Embora quatro das cinco atividades pesquisadas tenham registrado crescimento, o bom desempenho foi turbinado pelo subsetor de tecnologia da informação, que teve um avanço de 10,7%, apontou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE.

"Sem dúvida nenhuma, mesmo que tenha havido uma disseminação de taxas positivas em novembro ante outubro, o ganho deste mês ficou com as empresas desse segmento de tecnologia da informação, que neste mês trouxe uma taxa de 10,7%. É a taxa mais intensa desde janeiro de 2018, quando tinha crescido 11,8%", lembrou Lobo.

LEIA AINDA | Turismo cearense avançou 1% em novembro, mas acumula alta de 19% em 2021

O avanço no volume de serviços prestados em novembro elimina completamente a perda de 2,2% acumulada nos dois meses anteriores: setembro (-0,6%) e outubro (-1,6%). "O setor de serviços alcança, ou melhor, iguala o nível (de operação) de dezembro de 2015, quase seis anos", disse Rodrigo Lobo. "(A prestação de serviços) Volta àquele patamar", completou. A taxa de volume de serviços prestados em 12 meses alcançou 9,5% em novembro, a maior da série histórica, que nesse tipo de comparação foi iniciada em dezembro de 2012.

A retomada do setor de serviços no Ceará tem se mostrado mais acelerada que a média nacional. Entre janeiro e novembro, o Estado cresceu 13%, enquanto a média nacional foi de 10,9%. Para Ricardo Coimbra, professor e membro do Conselho Federal de Economia do Ceará (Corecon-CE), é notável o processo de retomada do Estado com os serviços, principalmente com os relacionados às atividades domésticas.

"A queda desse segmento significou na alta importante do desemprego e, agora, com a retomada das pessoas ao trabalho fora de casa a demanda voltou porque as pessoas não puderam mais fazer os serviços da sua própria casa. Temos uma recuperação, também, pois as pessoas voltaram a contratar os serviços complementares, como dedetização, pequenas reformas entre outros", complementa.

Turismo avança abaixo da média

A PMS também trouxe dados relativos ao turismo. De acordo com o IBGE, o turismo cearense seguiu a mesma curva de desempenho do resultado geral dos serviços: apresentou alta no mês de novembro, mas com resultado abaixo da média nacional.

No resultado de novembro de 2021 ante o mês imediatamente anterior, houve alta de 1%. No mesmo período, a média Brasil foi de alta de 4,2%. No acumulado do ano resultado similar. O turismo do Ceará cresceu 19%, enquanto a média Brasil foi de 21,1%.

Ricardo destaca que esse desempenho mensal não é preocupante, pois o potencial cearense das atividades turísticas está longe de ser atingido neste momento, em que a plenitude de voos para os destinos cearenses ainda não estão disponíveis totalmente. Mas, o resultado do turismo em 2021 deve fechar positivo, especialmente por conta da demanda dos turistas nacionais, avalia.

"Resultados de estados como São Paulo e Rio de Janeiro terem retomadas mais fortes diz respeito a fatores como voos, nível de renda. Então, na medida em que ainda temos um câmbio que subiu de forma significativa, temos um potencial de crescimento para o Ceará e Nordeste como um todo (com os turistas nacionais)", explica. (Com Agência Estado)

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"