Esportes

Presidente do Ceará assume culpa por temporada ruim, anuncia mudanças e projetos

Em longa entrevista coletiva, Robinson de Castro faz avaliação de ano do Alvinegro, considerado medíocre
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Presidente do Ceará estava no lançamento da nova loja do Alvinegro no Shopping Iguatemi  (Foto: Marcelo Vidal/Cearasc.com)
Foto: Marcelo Vidal/Cearasc.com Presidente do Ceará estava no lançamento da nova loja do Alvinegro no Shopping Iguatemi

De forma lúcida, Robinson de Castro assumiu a culpa pela temporada medíocre do Ceará, prometeu intensificar os investimentos na montagem do time e na reestruturação do departamento de futebol, confirmou a saída de Marcelo Segurado do cargo de gerente e anunciou marca própria de material esportivo. O pronunciamento do presidente do Alvinegro ocorreu na tarde ontem, um dia após a equipe confirmar na última rodada a permanência na Série A do Brasileiro, em coletiva de imprensa de 60 minutos realizada na sede do clube, em Porangabuçu. Leia, em tópicos, os principais momentos da entrevista:

Culpa

"Eu me sinto responsável (pela campanha). Sempre digo que o presidente não pode terceirizar: a culpa é sempre do presidente. Como sou o líder maior, tenho que ser o responsável. Foi frustrante. A campanha tirou muito minha energia", revelou o mandatário.

Nada de comemoração

Apesar do alívio pela permanência, o dirigente contou que não comemorou o resultado final. Para Robinson, o elenco montado deixou a desejar em campo, pois tinha qualidade para render mais. O presidente do clube reconheceu erros durante a temporada, mas reforçou que sempre buscou acertar nas decisões.

"Não comemorei. Entrei no vestiário, não parabenizei ninguém, nem aceitei receber parabéns. Não me sinto confortável. Nós conseguimos sair da situação em que estávamos e permanecer em demérito até dos concorrentes que conseguiram ser piores do que a gente", afirmou.

Prioridade: futebol

O dirigente disse que será feita reflexão sobre a temporada e prometeu mudanças no clube. Com a saída do gerente de futebol Marcelo Segurado, o Alvinegro já trabalha com pelo menos três nomes para assumir a vaga. Segundo Robinson, o investimento no departamento será maior e receberá prioridade.

"Estamos prontos para a retomada", ressaltou. "Vamos priorizar o futebol. A gente sempre dividiu o bolo (dos investimentos). Uma parte para o futebol, infraestrutura, liquidação de dívidas. Muita gente parabeniza esse modelo. Mas vamos ter que diminuir esse bolo para dar mais para o futebol", completou.

Novo gerente

O perfil do novo gerente de futebol, de acordo com Robinson, é o de alguém com experiência em Série A, que possa dar soluções rápidas e monte um time competitivo. A expectativa é de que o profissional tenha total autonomia no cargo e seja contratado até o fim desta semana. Robinson disse ainda que espera se afastar das funções de diretor de futebol, atividade que também exercia até o momento.

Sem renúncia

Robinson descartou renunciar por pressão de torcedores. Um protesto da maior torcida organizada do Ceará, a Cearamor, está marcado para hoje, às 16 horas, em frente à sede do clube. "Não sou pessoa que foge em momentos difíceis. Quantas vezes não tiveram protestos aqui? É justo. Tem razão o protesto. Concordo. É democrático, desde que sem violência. Pacífico."

Reaproximação com o torcedor

O mandatário prometeu intensificar ações para se reaproximar do torcedor. "Primeiro, tem que ter um time que empolgue. Temos que reconhecer que esse ano não tivemos. Tem que formar um time que empolgue, seja competitivo e protagonista em todas as competições."

Nova marca

Robinson antecipou que pretende fazer mudanças no programa de sócio-torcedor, nas lojas oficiais do clube e no material esportivo — que passa a ser do próprio Ceará. A nova marca se chamará "Vozão" e deve começar a ser vendida antes mesmo do Natal. "Vamos produzir camisa oficial. Todo mundo vai ter oportunidade de comprar porque vai ter de todo preço. Vamos garantir isso no próximo ano."

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais