Logo O POVO Mais
Reportagem Especial

Caboclo é o quarto presidente da CBF envolvido em escândalos

Entidade máxima do futebol brasileiro passa por dificuldades na presidência. Os últimos três comandantes do órgão foram banidos do futebol, e dois não concluíram mandato. Além deles, João Havelange teve problemas com a Justiça quando presidente da Fifa

Caboclo é o quarto presidente da CBF envolvido em escândalos

Entidade máxima do futebol brasileiro passa por dificuldades na presidência. Os últimos três comandantes do órgão foram banidos do futebol, e dois não concluíram mandato. Além deles, João Havelange teve problemas com a Justiça quando presidente da Fifa
Tipo Notícia Por

O afastamento de Rogério Caboclodenunciado por assédio moral e sexual, da presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), é mais um capítulo problemático envolvendo presidentes da entidade máxima do futebol brasileiro. Os últimos três comandantes eleitos da entidade foram banidos do futebol: Ricardo Teixeira, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero. 

Caboclo foi afastado da presidência por 30 dias, em decisão tomada pela Comissão de Ética da CBF. Caso não volte ao poder, o dirigente será o terceiro entre os últimos quatro presidentes da Confederação a não conseguir concluir o mandato. Apenas José Maria Marin ficou todo o período na presidência. Entretanto, foi preso e banido do futebol posteriormente. 

Made with Flourish

Um dos nomes mais emblemáticos do futebol nacional, Ricardo Teixeira presidiu a entidade de 1989 até 2012, quando renunciou ao cargo. O dirigente participou de um período da seleção brasileira campeã do mundo em 1994 e 2002. Enfrentando problemas de saúde, investigações de irregularidades e superfaturamentos, o dirigente sempre negou as denúncias, mas tomou a decisão de deixar o posto que ocupou por 23 anos. Em 2019, a Fifa constatou o recebimento de propinas, e Teixeira está banido do futebol. Ele subiu ao poder ciceroneado pelo todo-poderoso João Havelange, ex-presidente da CBD e da Fifa e que também figura nesta lista.

Com a renúncia do antecessor, José Maria Marin assumiu o comando interinamente, sendo efetivado em março de 2012. O dirigente ficou no cargo até o fim de 2014, terminando o mandato. Após deixar a CBF, foi preso junto a outros seis dirigentes em operação coordenada pela polícia federal dos EUA, o FBI, e autoridades locais da Suíça, em maio de 2015. Dois anos depois, o ex-presidente foi considerado culpado pelas acusações de fraudes e lavagem de dinheiro. A pena acabou reduzida e ganhou liberdade em 2020, por riscos à saúde em razão da pandemia de Covid-19.

Em maio de 2015, Marco Polo Del Nero assumiu a presidência, mas a Fifa o afastou no fim de 2017 — por denúncias de corrupção da justiça norte-americana. No ano seguinte, o dirigente foi banido do futebol, após o Comitê de Ética da entidade máxima do futebol mundial comitê considerá-lo culpado de suborno, corrupção e outras infrações. Com a crise de comando atual da CBF, chegou a se reaproximar do poder, apesar do veto da Fifa.

Com a saída de Del Nero, Coronel Nunes — atual presidente em exercício — assumiu provisoriamente entre 2017 a 2019, até a eleição vencida por Rogério Caboclo. Ele chegou ao cargo nos dois momentos por ser o vice-presidente mais velho.

Além dos quatro ex-presidentes da CBF, um ex-presidente da CBD também figura na lista. O influente João Havelange presidiu a então Confederação Brasileira de Desportos (CBD) de 1958 até 1975. Durante seu mandato, o Brasil foi tricampeão mundial: 1958, 1962 e 1970. Em 1974, tornou-se presidente da Fifa, sucedendo o britânico Stanley Rous. Com isso, o brasileiro foi o primeiro comandante não europeu da entidade. Havelange deixou o cargo em 1998. Já em 2010, o dirigente e seu genro, Ricardo Teixeira, foram acusados de corrupção, sendo considerado culpado posteriormente pela Justiça da Suíça.

Essa notícia foi relevante pra você?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Conteúdo exclusivo

Saiba mais

Estamos disponibilizando gratuitamente um conteúdo de acesso exclusivo de assinantes. Para mais colunas, vídeos e reportagens especias como essas acesse sua conta ou assine O POVO +.

Recomendada para você

"