Logo O POVO Mais
Esportes

Seleção feminina de futebol do Brasil protesto contra assédio e bate Rússia em amistoso

Andressa Alves e Bruna Benites, duas vezes, balançaram as redes na partida realizado no estádio Catagonova, em Cartagena. Antes do jogo, atletas levaram faixa em referência ao afastamento de Rogério Caboclo
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Jogadoras do Brasil entraram em campo com faixa contra assédio
 (Foto: Richard Callis/SPP/CBF)
Foto: Richard Callis/SPP/CBF Jogadoras do Brasil entraram em campo com faixa contra assédio

A seleção brasileira de futebol feminino entrou em campo ontem e deixou sua marca antes mesmo de a bola rolar. Após o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, ser acusado de assédio moral e sexual por uma funcionária da entidade, as jogadoras publicaram manifesto nas redes sociais e entraram em campo com a faixa "Assédio Não".

O texto publicado pelas atletas apontou que pessoas, especialmente mulheres, são vítimas de abusos e atos que "vão contra nossos princípios de igualdade e construção de um mundo mais justo". A mensagem também trazia palavras de encorajamento para que homens e mulheres denunciem quando forem assediados. Ao final da partida, a camisa 10 da seleção, Marta, também se posicionou sobre o caso.

"Somos, obviamente, contra qualquer tipo de assédio. Claro, sem fazer pré-julgamento, pois os fatos estão aí para serem apurados, mas gente necessitava mostrar nosso posicionamento e nós fizemos em conjunto como sempre fizemos em outras situações", destacou a capitã, seis vezes escolhida a melhor jogadora de futebol do mundo.

Rogério Caboclo está afastado pelo Conselho de Ética da CBF durante a investigação do caso. Na última sexta, a comissão notificou o mandatário formalmente sobre o processo e ele terá um prazo de 15 dias úteis para apresentar sua defesa. 

Após o protesto, a bola rolou e, com isso, gols bonitos e vitória também vieram. As atletas comandadas pela técnica sueca Pia Sundhage venceram a Rússia por 3 a 0, com dois gols da zagueira Bruna Benites e um de Andressa Alves. A partida ocorreu no estádio Cartagonova, em Cartagena, na Espanha.

O primeiro gol demorou para sair. Somente aos 41 minutos do primeiro tempo, após cobrança de escanteio de Andressinha, Ludmila desviou para a pequena área, encontrando Bruna livre para marcar de cabeça.

O segundo gol brasileiro só saiu na etapa final, aos 18 minutos, mais uma vez após cobrança de escanteio. Desta vez, Andressa Alves foi quem cobrou, direto na cabeça da zagueira artilheira Bruna, que cabeceou para baixo, para marcar seu segundo.

Além da assistência, Andressa também marcou o terceiro do Brasil, aos 36 minutos. A jogadora tentou passe para a área, mas a goleira russa desviou, dando rebote para a própria atacante, que não perdoou.

Este foi o penúltimo compromisso da seleção feminina antes divulgação das convocadas para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. A última partida antes da lista final ocorre nesta segunda-feira, 14, contra o Canadá, às 16 horas (horário de Fortaleza), também no estádio Cartagonova, em Cartagena, na Espanha. (Com Gazeta Esportiva)

Essa notícia foi relevante pra você?
Recomendada para você

"