Esportes

Fortaleza vence Corinthians no Castelão, volta ao G-4 e melhora campanha sólida

Tricolor alcançou 21 pontos em 11 rodadas, metade do total de pontos que faturou na Série A do ano passado. No Castelão, o Leão segue invicto e tem a melhor campanha como mandante
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Robson (à esquerda) conseguiu vencer a defesa do Corinthians, a menos vazada da Série A, no primeiro tempo (Foto: Fabio Lima)
Foto: Fabio Lima Robson (à esquerda) conseguiu vencer a defesa do Corinthians, a menos vazada da Série A, no primeiro tempo

O Fortaleza alcançou a sexta vitória na Série A do Brasileiro ontem à noite, ao bater o Corinthians-SP no Castelão pelo placar de 1 a 0. A vitória magra foi o suficiente para o Tricolor retornar ao G-4 após duas rodadas fora dele.

Com o triunfo, o Leão alcançou 21 pontos em 11 rodadas, metade do que somou nas 38 rodadas da temporada passada. E o Castelão tem sido o reduto da maior parte desses pontos. No Campeonato Brasileiro, são seis partidas em casa e cinco vitórias, o que garante a melhor campanha como mandante entre os 20 clubes da elite. De quebra, o Tricolor quebrou série de 11 jogos e 16 anos sem derrotar o Timão.

SÉRIE A: Gol de Fortaleza 1 x 0 Corinthians

O início do jogo foi de pressão absoluta do Fortaleza. Durante sete minutos, o Corinthians foi empurrado ao próprio campo de defesa e viu o Leão empilhar finalizações, todas para fora ou travadas, causando apreensão no adversário.

A primeira defesa de Cássio mesmo foi aos 10 minutos. Na entrada da área, Matheus Vargas deu um toque por cima, enganando a zaga e deixando Robson de frente para o goleiro corintiano. A finalização foi em cima do arqueiro. A esta altura, o Timão já tinha ido ao ataque pelo menos duas vezes, mas tinha dificuldades para concluir. Com 14 minutos, eram sete finalizações do Fortaleza contra uma a favor do Corinthians.

Com este desenho, era natural que o Tricolor saísse na frente. Vargas mandou o recado aos 16, ao arriscar de longe. Cássio deu um tapa na bola e mandou para escanteio. Dois minutos depois, Robson tentou o mesmo, só que acertou o canto superior direito da meta adversária, sem chances para o goleiro.

O ritmo do Leão foi diminuindo e a posse de bola, que chegou a ser de 70%, foi caindo para a casa dos 50%. Mesmo assim, o Corinthians não demonstrava muito poder de reação. A melhor chance do time de Sylvinho nasceu de jogada individual do veterano Fágner, que carregou a bola da defesa até a intermediária e passou de trivela para Mateus Vital na grande área, pela esquerda. O atacante deu um tapa à frente e bateu alto, para a defesa de Felipe Alves.

A resposta veio depois, com David, na meia-lua, puxando para a direita e arriscando. Assustou o goleiro. No segundo tempo, a primeira chance também foi dele. Logo aos sete minutos, o camisa 17 recebeu passe preciso de Robson na grande área e bateu de primeira. A bola passou caprichosamente à esquerda da meta, rente à trave.

Se os homens de meio e ataque não estavam criando chances claras para o Corinthians, o zagueiro Gil resolveu dar uma força. Primeiro com um lançamento por cima na medida para Gustavo Mosquito, que recebeu na grande área e, ao invés de finalizar, tentou rolar para Jô, centralizado. A zaga tricolor cortou. Depois, na cobrança do escanteio gerado, o mesmo defensor cabeceou e obrigou Boeck — que entrara no intervalo por dores musculares em Felipe Alves —, a espalmar. A arbitragem, porém, marcou falta do corintiano.

Dos 20 minutos em diante, o Fortaleza começou a perder o volume de jogo que tinha. O Timão virou a posse de bola e passou a ficar mais tempo no campo de ataque, mas não tinha facilidade para concluir as jogadas. Jô que o diga. Ele foi acionado várias vezes e nas poucas vezes que conseguiu finalizar, mandou longe. De toda forma, como o placar era apertado, o jogo ficou perigoso.

É bem verdade que, antes disso, David, em chute colocado, e Robson, batendo fraco, de fora da área, tinham tentado, mas o ritmo do jogo caiu. O momento mais agitado provavelmente tenha sido a última alteração do Leão, aos 37. Vojvoda queria lançar Osvaldo e Torres a campo, mas a arbitragem só autorizou a entrada do primeiro.

O árbitro Caio Max disse que Torres demorou a se posicionar na borda do gramado e deu a janela de substituição — são três por jogo, sem contar o intervalo — por encerrada com a entrada de Osvaldo. Era a terceira mexida do Leão, portanto, o atacante não entraria mais. Confusão fora de campo e Gastón Liendo, auxiliar de Vojvoda, acabou expulso. A confusão não gerou reflexo no placar.

Fortaleza 1 x 0 Corinthians 

Fortaleza
3-5-2: Felipe Alves (Boeck); Tinga, Benevenuto, Titi; Pikachu, Ronald, Felipe, M. Vargas (Osvaldo) e Crispim (Bruno Melo); Robson e David (Romarinho). Téc: Vojvoda

Corinthians
4-1-4-1: Cassio; Fagner, Gil, João Victor, Fábio Santos; Cantillo (Roni); Gabriel, Vitinho (Araos), Gustavo Mosquito (Marquinhos), Mateus Vital (Luan); Jô (Felipe Augusto). Téc: Sylvinho

Local: Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 11/7/2021
Árbitro: Caio Max Vieira-RN
Assistentes: Jean Márcio dos Santos-RN e Lorival Cândido Flores-RN
VAR: Pablo Ramon Pinheiro-RN
Cartões amarelos: Pikachu, Felipe, Crispim (FOR) Gil, Cantillo, Marquinhos
Renda e público: não houve, devido a pandemia do novo coronavírus
Gol: 18min/1T - Robson arrisca de fora da área e acerta

Made with Flourish
Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais