Logo O POVO Mais
Esportes

Ceará goleia General Caballero no Castelão e fica próximo da classificação na Sul-Americana

Vovô faz 6 a 0 sobre a equipe paraguaia, mantém a ponta do Grupo G e aguarda resultado do Independiente-ARG, mas já sabe que joga por um empate na última rodada, semana que vem, para ir às oitavas de final do torneio
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
Alvinegro aplicou goleada histórica no Castelão (Foto: Aurelio Alves)
Foto: Aurelio Alves Alvinegro aplicou goleada histórica no Castelão

Foi um atropelo. O Ceará fez 6 a 0 sobre o General Caballero, do Paraguai, ontem à noite no Castelão, mas poderia ter construído um placar bem mais elástico, se tivesse caprichado mais.

Diante de um adversário frágil e todo reserva, o Alvinegro nem precisou escalar força máxima para dominar a partida do início ao fim e buscou construir o maior placar possível, pensando em ter a vantagem robusta diante do Independiente-ARG, semana que vem, em Buenos Aires.

Apesar de ter que esperar o resultado do jogo entre o Rey de Copas e o La Guaira-VEN, amanhã, o Alvinegro já sabe que joga por um empate em Avellaneda para avançar às oitavas de final da Copa Sul-Americana — em caso de empate ou derrota dos argentinos para os venezuelanos, o escrete preto-e-branco já garantiria a vaga de forma antecipada.

 

Quanto ao duelo de ontem, o Ceará abriu o placar cedo, logo aos 5 minutos. O lance nasceu com um passe preciso de Richardson para Nino Paraíba, que avançava pela direita. O lateral ganhou do marcador e levantou a bola para a grande área, buscando Cléber. O centroavante dominou com o peito, de costas para o gol, e acabou ajeitando para Wescley, que vinha chegando e finalizou de perna direita antes de entrar na grande área, acertando o canto direito rasteiro do goleiro Juanito Alfonso.

O meia, que tem contrato encerrando no fim deste mês, comemorou bastante o tento. Doze minutos depois, os papéis se inverteram. Em outro lance que nasceu de um lançamento de Richardson, Wescley recebeu a bola pela direita e fez o cruzamento para a pequena área. O goleiro do General Caballero tirou de soco, mas a bola bateu na perna esquerda (de apoio) de Cléber, que chegava para tentar disputar, e acabou entrando.

As bolas paradas de Victor Luís também geravam boas oportunidades ao Vovô. Em dois levantamentos, Luiz Otávio e Marcos Victor cabecearam para baixo e facilitaram a vida do arqueiro contrário. Já em uma cobrança de falta direto, o lateral-esquerdo acertou o travessão.

A pressão alvinegra era forte e, antes de ir para o intervalo, o Ceará fez o terceiro gol, novamente com Cléber. O centroavante subiu sozinho e livre de marcação no meio da grande área para completar, em cabeçada, o cruzamento de Iury Castilho. Dentinho, que fez seu primeiro jogo como titular pelo Vovô, ainda fez o torcedor ficar de pé na arquibancada ao tentar um chute colocado, mas acabou errando a mira.

O ex-Shakhtar, no entanto, acabou substituído no intervalo, dando lugar a Erick. Ciente da importância de aumentar o saldo de gols, o Alvinegro voltou com uma postura bem ofensiva. Nos primeiros minutos, houve uma blitz ao redor da grande área do General Caballero, mas a primeira boa chance da etapa complementar foi do Rojo, que havia retornado com três alterações. Luis Barrios, um dos atletas que entrou, aproveitou uma bola levantada na área e deu um voleio, mas Richard defendeu.

O domínio da partida continuava com o Ceará, mas as finalizações não eram tão precisas quanto na primeira etapa. Wescley e Cléber, por exemplo, pegaram bolas frontais e mandaram para fora. O centroavante chegou a acertar a trave, aos 22 minutos, em chute cruzado.

A facilidade que o Ceará tinha em penetrar na área do time paraguaio não se refletia em gols, porque o último passe não estava saindo redondo. Dorival começou a lançar titulares a campo, Mendoza, Lima e Bruno Pacheco.

O atacante colombiano fez a diferença em campo. Aos 26, após cobrança de escanteio do lado direito, Lindoso deu o primeiro toque de cabeça e Mendoza, escorado na segunda trave, apenas desviou para a rede. Cinco minutos depois, dessa vez próximo da outra trave, o camisa 10 aproveitou nova bola aérea e acertou cabeçada, fazendo o quinto.

Os jogadores do Caballero, especialmente o goleiro Alfonso, pareciam não ver a hora do jogo acabar. A pressão do Vovô era cada vez maior e houve tempo ainda para Zé Roberto, que também saiu do banco, deixar o dele, em chute rasteiro, da entrada da área.

O sétimo gol só não saiu porque o arqueiro paraguaio evitou, com os pés, uma finalização do jovem zagueiro Marcos Victor, e espalmou uma conclusão de Zé Roberto, ambos nos acréscimos.

Ceará 6x0 General Caballero-PAR

Ceará
4-2-3-1: Richard; Nino Paraíba, Luiz Otávio, Marcos Victor e Victor Luís (Pacheco); Richardson (Lima), Lindoso; Iury Castilho (Mendoza), Wescley (Zé Robeto) e Dentinho (Erick); Cléber. Téc: Dorival Júnior

General Caballero-PAR
4-4-2: Juanito Alfonso; A. Lezcano, Vergara, Duarte, Corulo; E. Llanes (Gavilán), E. Alfonso (L. Barrios), José Vera (Aldama), A. Franco; Giovani Bordon (Recalde); Órtiz (Hector Lezcano). Téc: Luciano Theiler

Local: Arena Castelão, em Fortaleza/CE
Data: 17/5/2022
Árbitro: Jesús Cartagena-PER
Assistente: Enrique Pinto-PER e Victor Raez-PER
Cartões amarelos: A. Lezcano e Corulo (CAB)
Gols: Wescley, aos 5, Cléber, aos 18 e aos 31 min/1T/ Mendoza, aos 26 e aos 32, e Zé Roberto, aos 38 min/2T
Público e renda: 20.717 presentes/R$ 135.038,00

Made with Flourish
Essa notícia foi relevante pra você?