Farol

Theophilo nega que terá cargo ligado a Moro

| Governo Bolsonaro |
Edição Impressa
Tipo Notícia
Segundo lugar na disputa pelo Governo do Ceará nas últimas eleições, general Guilherme Theophilo revelou estar cotado para assumir um cargo no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) ou no Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).

 

"Meu nome está cogitado para Dnit ou Dnocs", resumiu ao O POVO o militar reformado, que participou do pleito cearense pelo PSDB. Na ocasião, chegou a afirmar que "os extremos nunca levaram a nada" no Brasil, complementando: "Não sou de direita nem de esquerda, sou de centro."

 

Guilherme Theophilo integra a equipe de transição do futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Teophilo, no entanto, afirmou ao O POVO que não assumirá a Secretaria Nacional de Segurança Pública.

 

"Não estou sabendo de nada. Estou na equipe do juiz Sérgio Moro, mas não tem nada para essa pasta (Secretaria Nacional de Segurança Pública)", despistou.

 

Ontem, ao Blog do Eliomar, Theophilo descartou possível filiação à sigla do presidente eleito, Bolsonaro. "Essa minha campanha me deu muita experiência política. Não, não, me filio a partido. Só mesmo trabalho na segurança", garantiu.

 

Durante o segundo turno das eleições presidenciais, Guilherme Theophilo optou a contragosto pelo apoio ao então candidato Jair Bolsonaro (PSL). "É o seguinte, meu candidato era o Geraldo Alckmin (PSDB). Prefiro uma coisa mais moderada. Só vou apoiar Bolsonaro porque tenho que me definir, e no PT não voto", enfatizou à época. (Wanderson Trindade/especial para O POVO)

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais