Farol

Em dois dias, chove 23,35% da média histórica para o mês de fevereiro no Ceará

| Estação chuvosa | Foram registradas chuvas em todas as macrorregiões do Estado
Edição Impressa
Tipo Notícia
EM FORTALEZA choveu 62,6 mm no primeiro fim de semana de fevereiro
 (Foto: AURÉLIO ALVES)
Foto: AURÉLIO ALVES EM FORTALEZA choveu 62,6 mm no primeiro fim de semana de fevereiro

Atualizada às 9h07min

Nos dois primeiros dias de fevereiro, o Ceará acumulou 23,35% do volume de chuva considerado dentro da média para o mês. Foram 27,7 milímetros (mm) registrados ante o índice de 118,6 mm classificado como normal para o primeiro mês da quadra chuvosa. As informações são do  Calendário de Chuvas da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). A estação chuvosa de 2020 no Ceará teve início com 14,30% da capacidade de abastecimento. Ontem, 2, o sistema hídrico estava com volume 14,42%.

No primeiro fim de semana do mês, foram registradas precipitações em todas as macrorregiões do Estado. Pelo menos 54 municípios cearenses registraram chuva até as 7 horas deste domingo. Limoeiro do Norte, localizado na macrorregião Jaguaribana, teve o maior acumulado, com 100 mm. Seguido por Ibaretama (73 mm), Cariré (66 mm), Fortaleza (62,6 mm), Santa Quitéria (61,4 mm), Jaguaribe (60 mm), Jaguaretama (56 mm), Morada Nova (53 mm) e Ererê (49 mm).

Em 2019, fevereiro foi o mês mais chuvoso da quadra, com desvio positivo de 45,3%. Conforme prognóstico da Funceme, fevereiro e março devem ser os meses com maiores precipitações deste ano. A previsão é de 45% de probabilidade de chuvas acima da média nos três primeiros meses da estação.

No último sábado, 1º, uma ensecadeira rompeu no açude de Granjeiro, em Ubajara. De acordo com a Defesa Civil do município, a 326,1 km de Fortaleza, o tapume auxiliar era utilizado na contenção da água durante obra de recuperação da barragem. Em nota, o órgão negou que a barragem tenha rompido. Somando o grande volume de água às fortes chuvas, a região estaria sob risco de enchente.

O Governo Municipal de Ubajara orienta que a população das regiões ribeirinhas fique em estado de alerta e, em caso de emergência, saiam imediatamente da área de risco. "Não ultrapasse pontes onde a água esteja passando por cima. Aos banhistas, turistas e curiosos: não trafeguem pela cachoeira do Boi Morto, bem como balneários das localidades ribeirinhas", diz a nota.

O tenente Dionnis da Silva, da assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará, informou que uma equipe da Defesa Civil do Estado foi ao local "para fazer uma avaliação da situação". "A equipe ainda não mandou relatório oficial. Não foi tomada nenhuma medida de evacuação nem de contenção, está na fase de análise de risco", disse. (Ana Rute Ramires)

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais