Mercado

Marcas investem em mais educação na pandemia

Com o isolamento social, a oferta de cursos cresceu nas empresas, que ganham relevância social neste período de pandemia do novo coronavírus
Edição Impressa
Tipo Notícia Por
EVENTO Expert XP promovido pela XP Investimentos (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação EVENTO Expert XP promovido pela XP Investimentos

Atualizado às 10 horas

Durante a pandemia, muitas empresas estão investindo em conteúdos educativos em benefício dos funcionários e público em geral. As ações informativas geram engajamento e aproximam as marcas dos consumidores.

"Com a pandemia, notamos o aumento de ações de branded content em canais digitais. Quem oferece conteúdo significativo, acessível e ímpar fortalece sua relevância social e relacionamento com os públicos estratégicos", analisa o professor do curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Federal do Ceará (UFC), Chico Neto.

Exemplo desse movimento é a XP Investimentos, com o evento Expert XP, que anualmente reúne diversos especialistas do mercado para falar sobre possibilidades de negócios. Neste ano, com o isolamento, a quantidade de palestras aumentou e os nomes diversificaram ainda mais e vão desde o ministro da Economia, Paulo Guedes, do ex-primeiro ministro do Reino Unido, Tony Blair, até a ganhadora do Nobel da Paz Malala Yousafzai, e o produtor musical Kondzilla.

Os debates deste ano vão ser com o tema central "Um novo olhar para um novo futuro", mas falam sobre educação, inclusão e empoderamento feminino, por exemplo. Neste ano, a apresentação é digital e gratuita, podendo levar as discussões a muito mais pessoas, não apenas pela plataforma exclusiva, HUB Expert, mas também nas redes da XP Investimentos, no LinkedIn, Facebook, Instagram, YouTube e Twitter. A XP promoveu uma grande democratização de acesso, já que na edição passada, os ingressos para o evento chegavam a custar mais de R$ 2 mil. Mais de 3 milhões de espectadores já participaram dos conteúdos. O número já ultrapassou o do ano passado, que, em três dias, teve 30 mil acessos.

Outro exemplo de promoção de educação vem do braço educacional do O POVO, a Fundação Demócrito Rocha (FDR). O diretor geral da FDR, Marcos Tardin, lançamentos de cursos mais procurados na plataforma online de estudo atrai em torno de 120 mil inscritos de todas as regiões, com dominância dos estados do Ceará e São Paulo. Mantenedor da FDR, O POVO também está com iniciativas em educação digital, entrando de maneira ainda mais robusta na área.

"O POVO, como marca de comunicação, sempre esteve bem associado à educação, não só por conta da atuação da FDR, mas de todas as iniciativas, como, por exemplo, veicular há 35 anos, cadernos de educação à distância da FDR."

Tardin ressalta que esse histórico destaca O POVO não só localmente, mas em todo o País a marca angariou o respeito do público. "A educação é algo associado ao O POVO há 37 anos".

Viviane Pereira, gerente pedagógica da Universidade Aberta do Nordeste (Uane) - parte da FDR - explica que, na pandemia, o planejamento de cursos para 2020 foi posto em prática com adaptações e ampliações, inclusive adiantando aulas para este período da pandemia e incluindo mais conteúdo ao banco de alunos, entre os cursos técnicos, de extensão e livres. O que faz com que na FDR como todo o número de cursos de extensão que era entre dois e três por ano, deva ser entre oito e dez em 2020. "Adiantamos algumas coisas para atender à demanda de pessoas muito tempo em casa, inseguras e angustiadas", explica.

A Uane tem alunos espalhados pelo Brasil e alguns no Exterior. "Para atender essa demanda, existem planejamentos anuais e não se pode fugir muito para oferecer o melhor suporte ao aluno", diz. Mas, diante da crise algumas adaptações foram realizadas com o aumento da demanda. O curso de extensão incluído foi sobre enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes, finalizado nos últimos dias, em oferta especial.

"Estamos com uma oferta maior de cursos. Temos atualmente três cursos livres - dois pagos e um gratuito - e estamos tendo muita procura", destaca, lembrando que as iniciativas fortalecem a relação de compromisso do O POVO com a educação e a fidelidade dos alunos aos cursos da FDR.

Quem embarcou nos conteúdos de educação foi o YouTube, que lançou no Brasil a seção Aprender. A curadoria reúne seleções de produções sobre biologia, educação financeira, carreira, desenvolvimento pessoal, artes, literatura e vídeos de "faça você mesmo". Clarissa Orberg, gerente de parcerias estratégicas do YouTube para educação, disse em comunicado que a gama de conteúdo desse hub de conhecimento proporciona mais instrução aos usuários da plataforma.

 

INTERESSE MAIOR

É FUNDAMENTAL pensarmos e discutirmos a educação digital, especialmente a partir das mudanças provocadas pela pandemia da Covid-19. Por esse motivo, a Fundação Demócrito Rocha (FDR) realiza pesquisa com o público em geral para levantar informações sobre os principais atrativos dessa modalidade de formação.

EDUCAÇÃO DIGITAL não é a distância. Na educação digital não existe um modelo com um conjunto de pilares e características que permita uma definição detalhada e precisa. É algo em permanente construção e aperfeiçoamento.

Acesse a pesquisa que busca aferir informações sobre essa modalidade de formação aqui. 

 

Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais