Opinião

Priscila Cruz: Para reabrir as escolas de forma segura

Edição Impressa
Tipo Notícia Por

Nesta prodigiosa terra de sol, mar e inspiradores resultados na Educação Básica, uma missão está dada aos gestores públicos cearenses: intensificar o trabalho de enfrentamento da pandemia na educação e a retomada das aulas presenciais nas escolas públicas do Estado.

Com autorização do governador Camilo Santana para a reabertura, o desafio é garantir que o processo se dê de forma ampla, tanto na rede estadual quanto nas municipais, e também de maneira segura, gradual e efetiva.

Os efeitos brutais da pandemia sobre o aprendizado e as desigualdades educacionais não são algo facilmente mitigável. Organizações como Unesco e Unicef têm apontado as múltiplas dimensões do impacto, como perdas de aprendizagem, riscos de abandono escolar e consequências psicossociais. Há muito trabalho a fazer.

Mesmo diante dos ótimos resultados que o Estado já apresenta na definição de protocolos, é fundamental manter a atenção na adoção de algumas premissas:

1. Aceleração da vacinação dos professores. O Ceará avançou na vacinação dos profissionais de educação, e ainda que não deva ser entendido como condicionante para o retorno, isso é aspecto fundamental para aumentar a confiança da comunidade escolar.

2. Foco na implementação dos protocolos sanitários, como distanciamento social, uso de máscaras específicas e álcool em gel, ventilação, sanitização dos ambientes, além de monitoramento e rastreamento dos casos.

3. Reconhecer a inadequação de algumas escolas e prepará-las para tal, sem imobilizar o retorno onde já existem condições.

4. Oferecer respostas educacionais contundentes, incluindo busca ativa por alunos, estratégias de acolhimento, atendimento psicológico e recuperação de aprendizagem, e atenção especial a alunos em situação de vulnerabilidade.

5. Coordenação e cooperação entre estados e municípios. Se é uma regra de ouro para a melhoria de políticas educacionais, torna-se mais necessária numa crise. O Ceará sabe bem a importância disso e é referência no assunto.

Nós, do Todos Pela Educação, temos defendido de Norte a Sul do país: uma reabertura das escolas de forma gradual, segura e efetiva. Uma retomada das aulas presenciais que preserve a segurança da comunidade escolar e assegure o presente e o futuro de crianças e jovens. Não há melhor e mais poderoso projeto de país. n

 

Foto do Articulista

Priscila Cruz

Articulista
Essa notícia foi relevante pra você?
Logo O POVO Mais